Disputa do ouro

André Heller foi homenageado no intervalo do jogo

Equilíbrio é a palavra que melhor define as semifinais da Liga Mundial 2015. Neste sábado (18.07), duas partidas decididas no tie break levaram a Sérvia e a França para a grande decisão, que acontecerá neste domingo (19.07), às 11h30, no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro (RJ). A partida terá transmissão ao vivo da Band e do SporTV. Com um resultado negativo e uma vitória, o Brasil foi eliminado ainda na fase classificatória da etapa final da competição.

Neste sábado, os sérvios venceram os Estados Unidos por 3 sets a 2, com parciais de 25/23, 25/21, 25/27, 20/25 e 15/12), em 2h28 de partida. Na sequência, a França, campeã da segunda divisão da Liga Mundial, bateu o atual campeão mundial, Polônia, também por 3 sets a 2 e na mesma situação: venceu os dois primeiros, perdeu na sequência, e garantiu a classificação no tie break (25/23, 25/23, 19/25, 22/25 e 17/15).

O jogo entre Estados Unidos e Sérvia teve o primeiro set equilibrado do início ao fim. Já na reta final, os sérvios colocaram dois de vantagem em um momento importante (22/20), mas os norte-americanos deixaram tudo igual em 22/22. No final, no erro do adversário, a Sérvia fechou em 25/23. Embalados, os sérvios abriram três pontos no início do segundo set (10/7). O time da Sérvia seguiu melhor e fechou em 25/21.

Estados Unidos reagiram no terceiro set e fizeram 8/6. Mas os sérvios viraram e abriram vantagem (12/8). A reta final do set ganhou emoção no empate em 23/23 e os Estados Unidos fecharam em 27/25. O quarto set seguiu favorável aos americanos, que fecharam em 25/20 e levaram o jogo para o tie break. No set decisivo, os Estados Unidos estiveram à frente na troca de quadra (8/6). No final, equilíbrio no empate em 12/12. Os sérvios fecharam em 15/12.

Após a partida e depois de muita comemoração, inclusive ao lado da torcida brasileira, o técnico Nikola Grbic, demonstrou toda sua felicidade em estar na grande decisão da Liga Mundial. “O que eu posso dizer? Ontem, já estávamos em casa (eliminados) e hoje fizemos um grande trabalho. Estou muito feliz agora. Estamos nos sentindo muito bem temos que já pensar no que fazer amanhã”, disse o treinador da Sérvia.

A segunda semifinal também começou com equilíbrio, com França e Polônia empatadas em 16/16. A emoção foi até o final, quando os franceses venceram por 25/23. No segundo set, a França também esteve no comando da parcial em 14/10. Novamente bem disputado, os franceses repetiram o placar e venceram por 25/23.

Com dois sets de vantagem, a seleção da França saiu na frente também na terceira parcial (5/3). Os poloneses reagiram e viraram o placar para 13/8. A vantagem se manteve e a Polônia venceu por 25/19. Os poloneses mantiveram o bom ritmo e abriram quatro em 14/10. A França aproximou em 20/22, mas a Polônia fechou em 25/22 e levou o jogo para o tie break. No set decisivo, a França conseguiu abrir dois em 7/5. No erro do adversário, a Polônia empatou (10/10). Os franceses chegaram ao ponto do jogo em 14/12, mas os poloneses deixaram tudo igual: 14/14 No bloqueio de Ngapeth, a França fechou em 17/15.

Feliz com o resultado deste sábado e a grande campanha ao longo da Liga Mundial, o capitão Rouzier comemorou o fato de disputar a final desta competição pela primeira vez.

“Essa é a minha primeira final de Liga Mundial na carreira. Jogos neste sábado com espírito de equipe. Foi inacreditável. Ganhamos quase todos os jogos que fizemos nesta temporada e, amanhã, na busca pelo título, isso vai ser muito importante para o nosso time”, disse Antonin Rouzier.

André Heller recebe homenagem

O ex-central André Heller viveu mais um momento de alegria no vôlei. Dessa vez, não jogando, mas, ainda assim, dentro de quadra. O campeão olímpico esteve no ginásio do Maracanãzinho neste sábado para receber uma homenagem da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) pelos relevantes serviços prestados em prol do desenvolvimento do voleibol brasileiro. O ex-jogador e atual dirigente do Brasil Kirin (SP) foi aplaudido pelos torcedores do centro da quadra e recebeu a placa das mãos do CEO da CBV, Ricardo Trade.

“Fiquei muito feliz, mas, mais do que isso, estou confirmando de que nós, atletas olímpicos, temos muita responsabilidade de levar uma mensagem importante para as pessoas. Essa homenagem me dá ainda mais responsabilidade. Falamos de crise política, econômica, porém passamos por uma grande crise de valores e o esporte é uma ferramenta para que esses valores sejam construídos”, disse Heller.

TABELA:

15/07 (quarta-feira)
14h04 – Brasil 1 x 3 França (29/27, 21/25, 29/31 e 19/25)
16h05 - Sérvia 2 x 3 Itália (23/25, 25/14, 23/25, 25/20 e 9/15)

16/07 (quinta-feira)
14h05 - Brasil 3 x 1 EUA (28/26, 22/25, 25/22 e 27/25)
16h05 - Polônia 3 x 1 Itália (25/15, 27/25, 20/25 e 25/20)

17/07 (sexta-feira)
14h05 - EUA 3 x 1 França (25/21, 25/22, 24/26 e 25/20)
16h5 - Sérvia 3 x 2 Polônia (18/25, 25/22, 22/25, 25/22 e 15/13)

18/07 (sábado)
10h - Estados Unidos 2 x 3 Sérvia (23/25, 21/25, 27/25, 25/20 e 12/15)
12h05 - França 3 x 2 Polônia (25/23, 25/23, 19/25, 22/25 e 17/15)

19/07 (domingo)
9h10 – Estados Unidos x Polônia
11h30 – Sérvia x França

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro

Patrocinadores

Curta Nossa Página

Últimas do Twitter

CBV
RT @FIVBVolleyball: Enjoy #VolleyballYourWay in São Vicente hospital #FIVBWorldLeague finals Development Programme @Emanuel_Volei @Giba7 El…
CBV
RT @FIVBVolleyball: #VolleyballYourWay at Pequeno Cotolengo...it's a celebration! #FIVBWorldLeague development programme @volei @Emanuel_Vo
Follow CBV on Twitter