É ouro

Earvin Ngapeth fpi eleito o MVP da Liga Mundial

Da redação, no Rio de Janeiro (RJ) - 19.07.2015

Jogar uma Fase Final de Liga Mundial no Brasil, casa do time que dominou o cenário do voleibol mundial nos últimos anos, em um evento-teste para os Jogos Olímpicos de 2016, e vindos da segunda divisão do campeonato não parecia uma tarefa simples para a França. Mas a equipe dirigida pelo técnico Laurent Tillie suportou toda a pressão, chegou à final, e, neste domingo (19.07), venceu a Sérvia por 3 sets a 0 (25/19, 25/21 e 25/23). Esse foi o primeiro título dos franceses na Liga Mundial.

A França começou a partida com ritmo forte e, ao abrir 3/0, a Sérvia pediu tempo. Na volta, os franceses mantiveram a boa atuação e ainda fizeram 5/0. Demonstrando bom poder de reação, os sérvios chegaram ao empate em 7/7. Os franceses não deram facilidade ao adversário e colocaram cinco de vantagem (16/11). O time da França seguiu melhor e fechou o primeiro set em 25/19.

A Sérvia conseguiu ponto de saque e fez 4/2. A França, no entanto, virou o placar e, no primeiro tempo técnico, tinha um de vantagem (8/7). O set ganhou ainda mais equilíbrio em 11/11. Com ponto de bloqueio, a Sérvia encostou no marcador em 17/16, porém a França voltou a abrir vantagem (21/18). Com um erro de saque de Okolic, da Sérvia, os franceses chegaram à vitória no segundo set por 25/21.

O terceiro set começou equilibrado, com a Sérvia se mantendo à frente no marcador (5/4) e chegando em vantagem ao primeiro tempo técnico (8/6). A França empatou em 10/10, mas a Sérvia voltou a comandar o placar em 13/11. Os franceses, então, fizeram 16/14 e os sérvios empataram (16/16). A equipe da Sérvia voltou a pontuar bem e, no saque, chegou a 20/17. E, mais uma vez, a França buscou: 22/22. Com ace, os franceses fizeram 24/23 e, na sequência, 25/23.

"Ser campeão da Liga Mundial é uma sensação incrível. Foi uma longa caminhada até esta final Nós começamos há três meses e enfrentamos muitas equipes poderosas. Nós chegamos a esta conquista porque mantivemos o foco o tempo todo, a cada ponto. Nós estávamos concentrados o suficiente para definir em nosso favor os momentos críticos da partida. Isso foi fundamental para nossa vitória hoje", contou o treinador francês Laurent Tillie.

O levantador e capitão da França, Benjamin Toniutti, teve certa "dificuldade" de expressar a emoção de vencer pela primeira vez a Liga Mundial.

"Nós chegamos aqui sem tanta pressão como os outros times, pois viemos do Grupo 2 (uma espécie de segunda divisão). Nós ganhamos do Brasil em 2013 (em São Paulo) e sabíamos que poderíamos repetir a façanha. Ser campeão é algo fantástico, não sei nem explicar como me sinto, mas não é algo para se pensar agora. Nós estamos muito felizes pois treinamos muito, foram longos três meses, e agora voltaremos para a França com o troféu, as palavras não são suficientes para descrever este sentimento", desabafou Toniutti.

Mesmo tendo ficado com a medalha de prata, os sérvios ficaram satisfeitos com o resultado e, principalmente, com o carinho da torcida brasileira que os apoiou o tempo todo. O técnico Nikola Grbic agradeceu aos brasileiros que compareceram ao Maracanãzinho neste domingo e disse estar feliz com o resultado final.

"Perder é parte do esporte, dou os parabéns ao time francês. Hoje não jogamos o que sabemos e não entramos com a agressividade que uma final exige. No entanto, acredito que fizemos uma grande temporada, estou feliz com nosso desempenho. Agradeço aos brasileiros pelo apoio que nos foi dado, parecia que estávamos jogando em casa", concluiu Grbic.

Bronze norte-americano
A disputa do terceiro lugar poderia ser a grande decisão da Liga Mundial 2015. O atual campeão mundial, Polônia, contra o atual campeão da Liga, Estados Unidos. Nenhum dos dois chegou a final, demonstrando o equilíbrio do voleibol masculino no mundo. E, na partida realizada na manhã deste sábado (19.07), melhor para os norte-americanos, que venceram por 3 sets a 0 (25/22, 25/23 e 25/23), em 1h32 de jogo, e ficaram com a medalha de bronze.

Os Estados Unidos começaram bem a partida e abriram 4/1. Os americanos seguiram no comando do marcador o tempo inteiro (16/10). A Polônia aproximou no placar em 22/20, mas os Estados Unidos fecharam em 25/22. A segunda parcial seguiu mais equilibrada ao longo da disputa. Mas, no final, melhor mais uma vez para os americanos, que venceram por 25/23.

No terceiro set, a Polônia demonstrou poder de reação e esteve à frente em 11/9. O equilíbrio permaneceu em 17/16. Os poloneses fizeram 23/21 e os Estados Unidos deixaram tudo igual em 23/23 e, com oposto Anderson, fechou em 25/23.

Após a partida, o técnico dos Estados Unidos, John Speraw, falou sobre o desempenho do seu time. "Depois de um jogo desafiador contra a Sérvia, ontem, estava feliz por ver nossos jogadores atuarem com tanta energia. Nossas partidas com a Polônia tem sido sempre assim e sabímaos que hoje nao ia ser fácil. Estou feliz porque ganhamos o bronze, mas espero que façamos melhor na próxima competição", disse Speraw.

Sucesso de organização
Mesmo sem a participação do Brasil no sábado e no domingo, a Fase Final da Liga Mundial foi um sucesso de público, com mais de 30 mil pessoas comparecendo para assistir aos 10 jogos realizados no Maracanãzinho nos cinco dias de competição. "O público viveu uma ótima experiência esta semana, recebendo um atendimento diferenciado, desde o entorno do ginásio até as cadeiras e arquibancadas", avaliou o CEO da CBV, Ricardo Trade, lembrando que a FIVB demonstrou satisfação com o padrão de organização brasileira, que contou com a participação direta de 35 funcionários da CBV e 230 profissionais terceirizados, entre eles 120 stewards.

A experiência do público foi ampliada pelo funcionamento, fora do Maracanãzinho, de um estande com uma exposição de peças relacionadas ao vôlei brasileiro, como troféus de títulos mundiais e do Grand Prix, e de uma miniquadra de vôlei de praia. Ambas as atividades tiveram entrada franca e foram abertas ao público em geral. Além da presença no ginásio da torcida, a Fase Final da Liga Mundial sediada no Rio de Janeiro teve transmissão para mais de 200 países, chegando a mais de 500 milhões de lares.

Primeiro dos eventos teste para os Jogos Olímpicos do ano que vem, a Fase Final da Liga Mundial também teve sua organização aprovada pelo gerente de voleibol do Comitê Rio 2016, Giovane Gavio, gerente de voleibol do Comitê Rio 2016: "Passamos no teste, que era nosso principal objetivo nesse evento. Foi importante ver os voluntários engajados e comprometidos com os Jogos. A torcida também provou que o Brasil é o país do voleibol e, mesmo sem a seleção brasileira, veio torcer para o espetáculo".

OS MELHORES:

Levantador - Benjamin Toniutti (França)
Oposto - Aleksandar Atanasijevic (Sérvia)
Central - Maxwell Holt (Estados Unidos)
Central - Srecko Lisinac (Sérvia)
Ponteiro - Earvin Ngapeth (França)
Ponteiro - Michal Kubiak (Polônia)
Líbero - Pawel Zatorski (Polônia)
Melhor jogador do campeonato: Earvin Ngapeth (França)

TABELA:

15/07 (quarta-feira)

14h04 - Brasil 1 x 3 França (29/27, 21/25, 29/31 e 19/25)
16h05 - Sérvia 2 x 3 Itália (23/25, 25/14, 23/25, 25/20 e 9/15)

16/07 (quinta-feira)

14h05 - Brasil 3 x 1 EUA (28/26, 22/25, 25/22 e 27/25)
16h05 - Polônia 3 x 1 Itália (25/15, 27/25, 20/25 e 25/20)

17/07 (sexta-feira)

14h05 - EUA 3 x 1 França (25/21, 25/22, 24/26 e 25/20)
16h5 - Sérvia 3 x 2 Polônia (18/25, 25/22, 22/25, 25/22 e 15/13)

18/07 (sábado)

10h - Estados Unidos 2 x 3 Sérvia (23/25, 21/25, 27/25, 25/20 e 12/15)
12h05 - França 3 x 2 Polônia (25/23, 25/23, 19/25, 22/25 e 17/15)

19/07 (domingo)

9h10 - Estados Unidos 3 x 0 Polônia (25/22, 25/23 e 25/23)
11h30 - Sérvia 0 x 3 França (19/25, 21/25 e 23/25)

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro

Patrocinadores

Curta Nossa Página

Últimas do Twitter

CBV
Quatro amistosos, quatro vitórias! Essa é a sequência do Brasil diante dos Estados Unidos nessa… https://t.co/mxqErpKmEI
CBV
Galera já saindo do hotel pro último amistoso do Brasil contra os Estados Unidos! A partir das… https://t.co/VNke3jiF5v
Follow CBV on Twitter