Preparação intensa

Terça, 28 Junho 2016 00:00
Publicado em Notícias

Após seis jogos pela Liga Mundial 2016, três no Brasil e outros três na Sérvia, com cinco vitórias de saldo, a seleção brasileira masculina de vôlei está em Paris, na França, onde se prepara para a terceira semana da competição. Desta vez, a equipe dirigida pelo técnico Bernardinho terá Polônia, Bélgica e Franca como adversários na etapa que será realizada em Nancy, também na França.

A seleção brasileira jogou a primeira etapa em casa, no Rio de Janeiro (RJ), e venceu Irã, Argentina e Estados Unidos. Em Belgrado, na Sérvia, a equipe verde e amarela venceu o Irã e a Bulgária, e sofreu um resultado negativo, contra os donos da casa.

Nesta semana, os jogos serão nos dias 1, 2 e 3 de julho e a seleção brasileira intensifica a preparação no Paris Volley, clube da cidade. Segundo o levantador, William, os treinos estão fortes e o grupo vem correspondendo ao esperado.

“É uma semana importante, onde faremos os últimos jogos antes da Fase Final da Liga Mundial e estamos em preparação intensa, com dedicação total de todo o grupo. Estamos treinando bem forte, visando esses jogos difíceis que teremos prela frente contra Polônia, Bélgica e França”, comentou o jogador da seleção brasileira.

Segundo William, esse vai ser um momento importante para o grupo. “Vão ser os últimos ajustes para chegarmos bem na Fase Final, que é o nosso grande objetivo. Estamos todos muito focados para conquistar esse título da Liga Mundial e, claro, em um futuro próximo, chegar bem nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro”, afirmou William.

O Brasil é o maior vencedor da Liga Mundial, com nove títulos (1993, 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009 e 2010) e entra nesta 27ª edição da Liga Mundial na busca pelo décimo. Além disso, a seleção brasileira é recordista de pódios da competição: subiu em 19 das 26 edições, tendo nove medalhas de ouro, cinco de prata e quatro de bronze.

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)

16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)
24.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 1 Irã (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17)
25.06 (sábado) – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/14, 25/21 e 25/12)

Nancy (França)

01.07 (sexta-feira) – 10h – Brasil x Polônia
02.07 (sábado) – 10h – Brasil x Bélgica
03.07 (domingo) – 13h – Brasil x França

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Por 3 a 0

Sábado, 25 Junho 2016 00:00
Publicado em Notícias

A seleção brasileira masculina de vôlei encerrou a segunda semana da Liga Mundial com vitória. Neste sábado (25.06), a equipe comandada pelo técnico Bernardinho derrotou a Bulgária por 3 sets a 0 (25/14, 25/21 e 25/12), em 1h20 de partida, e fechou a etapa de Belgrado, na Sérvia com dois resultados positivos e um negativo.

No total, o Brasil acumula cinco vitórias – diante de Irã, Argentina e Estados Unidos, na primeira semana, em casa, e novamente sobre o Irã, e sobre a Bulgária – e um resultado negativo, contra a Sérvia.

O próximo compromisso do Brasil será na França, em Nancy, onde será a terceira e última semana da fase classificatória da Liga Mundial. Os jogos da seleção brasileira serão contra Polônia, Bélgica e França, nos dias 1, 2 e 3 de julho.

Nesta tarde, o oposto Wallace saiu de quadra como maior pontuador ao marcar 15 vezes (12 de ataque e três de bloqueio). O ponteiro Maurício Borges foi o segundo melhor na pontuação, com 14 acertos. O central Maurício Souza também apareceu bem, com 11 pontos.

Após a partida, o experiente líbero Serginho falou sobre os três jogos disputados nesta semana, na Sérvia. “Foi uma semana dura. Sabíamos que teríamos três jogos difíceis aqui. Sofremos uma derrota, quando não conseguimos jogar muito bem, mas agora seguimos para a França, onde vamos com tudo para buscar a classificação para a Fase Final”, disse Serginho.

O central Éder também falou sobre as partidas em Belgrado. “Foi uma semana boa. Tivemos um jogo muito difícil contra a Sérvia, quando eles fizeram um jogo excelente, acima da média, e nos superaram. Ontem e hoje conseguimos duas vitórias importantes, que nos ajudam no objetivo de buscar a vaga nas finais. Foi uma semana produtiva, onde evoluímos mais ainda”, comentou Éder,

O Brasil é o maior vencedor da Liga Mundial, com nove títulos (1993, 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009 e 2010) e entra nesta 27ª edição da Liga Mundial na busca pelo décimo. Além disso, a seleção brasileira é recordista de pódios da competição: subiu em 19 das 26 edições, tendo nove medalhas de ouro, cinco de prata e quatro de bronze.

O JOGO

A seleção brasileira abriu o placar com Maurício Souza. No ace de Lucarelli, 3/1. Ainda com o ponteiro no saque, a equipe verde e amarela abriu 5/1. Com Maurício Borges no ataque, o Brasil ainda fez 6/1. Com tranquilidade, o time de Bernardinho fez 8/3. Com Wallace, a seleção brasileira abriu o dobro de pontos (12/6). No erro de saque do adversário, o Brasil chegou a 16/10 e, depois, a 18/11. Bruninho salvou uma bola, Maurício Borges atacou e a equipe brasileira fez 21/13. Novamente com Borges, 22/13. No final, o Brasil fechou em 25/14.

A Bulgária voltou embalada para o segundo set e esteve a frente no primeiro tempo técnico, com a vantagem de um ponto (8/7). Os búlgaros chegaram a colocar três de frente em 14/11. Explorando o bloqueio brasileiro, a Bulgária fez 16/13. A seleção brasileira reagiu e, no ace de Éder, encostou no placar: 16/15. Com Lucarelli, o Brasil deixou tudo igual em 17 pontos. No ponto de Maurício Borges, o time verde e amarelo assumiu o comando do marcador (19/18). Maurício Souza bloqueou e o Brasil fez 20/18. Ace de Lucarelli (21/18). No bloqueio, a seleção brasileira venceu o segundo set por 25/21.

Maurício Souza abriu o placar da terceira parcial para o Brasil. No ace de Bruninho, a equipe verde e amarela abriu 3/0. O set ganhou equilíbrio em 8/7, mas a seleção brasileira voltou a abrir vantagem em 10/7. A diferença aumentou ainda mais e, no bloqueio de Wallace, chegou a 15/9. Na sequência, com ponto de saque de Maurício Souza, 16/9. Quando o placar estava favorável ao Brasil em nove pontos (19/10), Bernardinho deu oportunidade ao jovem ponteiro Douglas, de 20 anos. No bloqueio, o time verde e amarelo fez 20/10. A seleção brasileira, então, só administrou o placar e fechou em 25/12.

EQUIPES

BRASIL – Bruninho, Wallace, Éder, Maurício Souza, Lucarelli e Maurício Borges. Líbero – Serginho
Entraram – Evandro, William, Douglas
Técnico: Bernardinho

BULGÁRIA – Gotsev, Penchev, Skrimov, Seganov, Ivanov e Sokolov. Líbero - Yosifov
Entraram – Grozdanov, Agontsev
Técnico: Plamen Konstantinov

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)
16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)
24.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 1 Irã (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17)
25.06 (sábado) – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/14, 25/21 e 25/12)

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Pela segunda vez

Sexta, 24 Junho 2016 00:00
Publicado em Notícias

Brasil e Irã se enfrentaram pela segunda vez nesta edição da Liga Mundial e, assim como no primeiro encontro, o time verde e amarelo saiu vitorioso. Nesta sexta-feira (24.06), no ginásio Aleksandar Nikolic, em Belgrado, na Sérvia, a equipe dirigida pelo técnico Bernardinho venceu por 3 sets a 1 (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17), em 1h54 de partida.

Com o resultado, o Brasil soma quatro vitórias – diante de Irã, Argentina e Estados Unidos, na primeira semana, em casa, e novamente sobre o Irã – e um resultado negativo, contra a Sérvia. A seleção brasileira já volta a jogar neste sábado (25.06), às 11h (Horário de Brasília), contra a Bulgária, com transmissão do SporTV. Esta será a última partida da segunda semana.

Nesta tarde, o oposto Wallace saiu de quadra como maior pontuador da partida, com 17 acertos, pontuando em todos os fundamentos (13 de ataque, três de bloqueio de um de saque). Mas, com uma distribuição homogênea do levantador Bruninho, vários jogadores se destacaram na pontuação.

O ponteiro Maurício Borges, que começou a partida como titular, foi o segundo maior pontuador, com 16 anotados (15 de ataque e um de saque). O ponteiro Lucarelli ainda marcou 15 vezes e o central Isac, 13.

Satisfeito com o desempenho pessoal, Maurício Borges elogiou toda a equipe. “Ontem, não tivemos o resultado que gostaríamos, contra a Sérvia, mas, hoje, consegui entrar e ajudar a equipe, passando uma energia boa para eles. O grupo todo jogou bem hoje e foi muito importante conseguir essa vitória”, disse o ponteiro.

Lucarelli foi um dos destaques do Brasil, especialmente no saque, fundamento em que marcou quatro pontos. “Hoje foi uma vitória para dar confiança para a nossa equipe novamente. Vínhamos de três jogos bons no Brasil e ontem sofremos uma derrota em um jogo pesado, difícil. Por isso, além da importância dos três pontos, conseguir esse resultado de hoje foi bom para voltar a nossa confiança total”, comentou Lucarelli.

O ponteiro da seleção brasileira ressaltou o valor do resultado positivo, mas cobra um crescimento do seu time. “Sabemos que temos que evoluir em alguns pontos, como na sequência de saque, temos que pressionar mais o adversário e melhorar um pouco mais o nosso bloqueio, mas nada pode tirar a alegria de uma vitória”, concluiu Lucarelli.

O Brasil é o maior vencedor da Liga Mundial, com nove títulos (1993, 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009 e 2010) e entra nesta 27ª edição da Liga Mundial na busca pelo décimo. Além disso, a seleção brasileira é recordista de pódios da competição: subiu em 19 das 26 edições, tendo nove medalhas de ouro, cinco de prata e quatro de bronze.

O JOGO

O Irã logo abriu 2/0, mas o Brasil buscou e, no bloqueio de Wallace, assumiu o comando do placar (3/2). No erro do adversário, o time brasileiro colocou dois de vantagem em 6/4. A diferença aumentou em 9/6. Com dois pontos de saque seguidos de Lucarelli, o Brasil fez 12/8. Em mais um ace do ponteiro, 14/8. Lucão, pela saída de rede, pontuou e a seleção brasileira chegou a 18/13. Com Isac, o placar foi a 20/15. Lucarelli conseguiu mais dois aces e o Brasil fez 22/15. No bloqueio simples de Wallace, 24/16. E o time verde e amarelo fechou em 25/18.

Assim como o primeiro, o segundo set também teve um início equilibrado, com as equipes empatadas em 3/3. O Irã assumiu o placar e abriu dois pontos em 8/6. Os iranianos seguiram com bom ritmo no ataque e chegaram a 11/8. No ace de Lucão, o Brasil encostou em 12/11. No segundo tempo técnico, o Irã abriu três (16/13). Quando o adversário fez 17/13 no bloqueio, Bernardinho pediu tempo. Com ponto de saque, o Irã chegou a 20/15. A seleção brasileira, então, em boa passagem de Maurício Souza pelo saque, reduziu a desvantagem para 21/18. No bloqueio de Evandro, 21/19 e, ainda com Maurício no saque, 21/20. Com Maurício Borges, o Brasil empatou (23/23). No bloqueio, o Irã fechou em 26/24.

O oposto Wallace abriu o placar para o Brasil no terceiro set. O Irã fez 2/2 e, no bloqueio de Isac, a seleção brasileira passou a frente (3/2). Com Lucarelli, 6/4. Wallace explorou o bloqueio adversário e o time verde e amarelo chegou a três de vantagem: 8/5. O Irã reagiu e deixou tudo igual em 9/9. O Brasil voltou a pontuar e fez 12/10. Na sequência, aumentou a vantagem para 16/12. No bloqueio de Lucão, 17/12. O marcador ainda chegou a 20/14. Quando a equipe brasileira chegou a 22/16, o Irã pediu tempo. No bloqueio de Isac, o Brasil fechou em 25/16.

Bem no início do quarto set, o Brasil abriu 3/0 em boa passagem de Bruninho pelo saque. Na sequência, a equipe verde e amarela abriu 5/1 e os iranianos pararam o jogo. Com Maurício Borges pontuando bem, a seleção fez 10/3. No ace de Wallace, 11/3. Com Lucarelli, o time brasileiro marcou 15/8. Maurício Borges levou o Brasil a fazer 18/11. Neste momento, o Irã pediu tempo. No ace de Maurício, 20/12. No erro de saque do adversário, 24/16 para o Brasil, que fechou em 25/17.

EQUIPES

BRASIL – Bruninho, Wallace, Lucão, Isac, Lucarelli e Maurício Borges. Líbero – Tiago Brendle
Entraram – Evandro, Wallace, Maurício Souza
Técnico: Bernardinho

IRÃ – Shahram, Ebadipour, Marouf, Seyed, Gholami e Mana. Líbero - Marandi
Entraram – A. Mobasheri, A. Behbodi, Mobasheri, Zarini
Técnico: Raul Lozano

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)

16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)
24.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 1 Irã (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17)
25.06 (sábado) – Brasil x Bulgária

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Seguir em frente

Quinta, 23 Junho 2016 00:00
Publicado em Notícias

O confronto dos únicos invictos no Grupo 1 da Liga Mundial prometia bastante disputa. E assim aconteceu nesta quinta-feira (23.06), no ginásio Aleksandar Nikolic, em Belgrado, onde Brasil e Sérvia se enfrentaram na abertura da segunda semana da competição. No final, melhor para a seleção da casa, que contou com o apoio de oito mil torcedores, e, em uma noite inspirada no saque, venceu por 3 sets a 1, de virada (19/25, 25/15, 25/21 e 25/22).

O Brasil, agora, soma três vitórias – diante de Irã, Argentina e Estados Unidos, na primeira semana, em casa – e um resultado negativo. A Sérvia havia vencido Rússia, Bulgária e Polônia nos primeiros jogos, jogando na Rússia, por 3 sets a 0.

A seleção brasileira já volta à quadra nesta sexta-feira (24.06) para buscar a reação no segundo jogo desta fase. A equipe dirigida pelo técnico Bernardinho enfrentará o Irã às 11h (Horário de Brasília), com transmissão ao vivo do SporTV. As duas seleções já se enfrentaram na primeira semana da Liga Mundial, quando o Brasil venceu por 3 sets a 0. 

Nesta quinta, o sérvio Lisinac e o ponteiro Lucarelli, do Brasil, foram os maiores pontuadores da equipe brasileira, com 18 acertos cada um. Lisinac foi um dos destaques da seleção da casa, que marcou incríveis 20 pontos de saque na partida. O jogador foi responsável por sete deles – além de 10 de ataque e um de bloqueio.

Após a partida, o capitão do Brasil, Bruninho, destacou o bom desempenho dos adversários. “A Sérvia mereceu ganhar e isso nao se discute. Essa é a verdade. Mérito deles pois sacaram muito bem. Que sirva de aprendizado. Tivemos algumas oportunidades de contra-ataque e nao soubemos aproveitar. Parabens pra eles”, comentou Bruninho.

O técnico da seleção brasileira, Bernardinho, também fez questao de ressaltar o mérito dos donos da casa na noite de hoje. “A Sérvia lidou muito bem com a pressão. Além disso, eles sacaram bem e mereceram a vitória”, conluiu Bernardinho.

O Brasil é o maior vencedor da Liga Mundial, com nove títulos (1993, 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009 e 2010) e entra nesta 27ª edição da Liga Mundial na busca pelo décimo. Além disso, a seleção brasileira é recordista de pódios da competição: subiu em 19 das 26 edições, tendo nove medalhas de ouro, cinco de prata e quatro de bronze.

O JOGO

A partida começou com o equilíbrio esperado, com as duas equipes empatando em 2/2. Depois de uma bola bastante disputada, Wallace pontuou e fez 3/2. O Brasil conseguiu abrir três de vantagem em 8/5. Na volta do tempo técnico, a equipe brasileira voltou a pontuar e, com Lipe e Lucão, chegou a 10/5. A Sérvia pediu tempo. No ace de Lipe, 13/7. O jogo voltou a ser mais equilibrado em 19/15. Com Maurício Souza, a seleção brasileira fez 22/16 e voltou a abrir vantagem. E, com Wallace, o Brasil fechou em 25/19.

A Sérvia saiu na frente no segundo set. Com grande saque de Nikic, a equipe da casa fez 4/2. A seleção brasileira chegou ao empate em 5/5. Bem no saque, os sérvios ainda chegaram a 11/7. Neste momento, Bernardinho pediu tempo. A Sérvia manteve o bom ritmo, principalmente no saque, e, contando com erros do Brasil, fez 16/9. Quando os adversários chegaram a 18/10, Bernardinho parou o jogo novamente. Com uma boa diferença no placar a favor (21/13), os sérvios administraram a vantagem e fecharam, com mais um ponto de saque, em 25/15.

Wallace abriu o terceiro set a favor do Brasil. Os sérvios empataram em 3/3 e, com bom saque, passaram a frente em 4/3. O marcador ficou igual novamente em 6/6. A equipe da casa ainda fez 8/6. Embalados pela torcida, que encheu o ginásio, os sérvios chegou a 10/7. Com dois bloqueios seguidos, a Sérvia abriu cinco pontos (13/8). O Brasil reduziu a desvantagem para 14/11. No ace de Podrascanin, a Sérvia fez 17/12. A diferença foi para seis pontos (18/12). Com 19/14, o Brasil fez a inversão com William e Evandro. Ainda muito bem no saque, o time da casa marcou 21/14. A seleção brasileira reagiu e, quando fez 21/17, a Sérvia pediu tempo. Em boa passagem de Lipe no saque, o placar foi a 21/19. Mas, a equipe da casa voltou a pontuar no saque e fez 23/19. No final, 25/21.

A Sérvia saiu na frente na quarta parcial e, com forte ataque de Éder, o Brasil passou a frente em 3/2. Os donos da casa voltaram a assumir o comando do marcador e abriram três em 8/5. Contando com erros do Brasil, os sérvios ainda fizeram 10/6 com ponto de bloqueio. Com mais um ace, 12/7, e com ponto no mesmo fundamento, 14/8 para a Sérvia. O Brasil buscou e, no contra-ataque, fez 15/11. Os donos da casa voltaram a pontuar bem (18/13) e então foi a vez da seleção brasileira reagir (18/15). Com Evandro bem no ataque, o placar ainda equilibrou mais em 18/16, e o Brasil empatou em 18/18. No ace de Lucarelli, 19/18. Com bloqueio de Maurício Souza, 20/18, e também com ele, no saque, 22/19. Novamente com bom aproveitamento no saque, principalmente com Lisinac, a Sérvia empatou em 22/22, virou e fechou em 25/22.

EQUIPES

BRASIL – Bruninho, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Lucarelli e Lipe. Líbero – Serginho
Entraram – William, Evandro, Éder, Maurício Borges
Técnico: Bernardinho

SÉRVIA – Ivovic, Jovovic, Nikic, Atanasijevic, Podrascanin e Lisinac. Líbero - Najstorovic
Entraram –
Técnico: Nikola Grbic

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)

16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)
24.06 (sexta-feira) – Brasil x Irã
25.06 (sábado) – Brasil x Bulgária

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Invictos

Quarta, 22 Junho 2016 00:00
Publicado em Notícias

Após o fim da primeira semana da Liga Mundial 2016, apenas duas equipes conseguiram os nove pontos e seguem invictas no Grupo 1: Brasil e Sérvia. E a partir desta quinta-feira (23.06) apenas uma permanecerá, já que as duas seleções se enfrentarão às 14h (Horário de Brasília), em Belgrado, na Sérvia, com transmissão ao vivo do canal SporTV.

O time dirigido pelo técnico Bernardinho jogou em casa na primeira etapa e venceu o Irã e a Argentina por 3 sets a 0, e os Estados Unidos por 3 a 1. Os sérvios, que fizeram os primeiros jogos na Rússia, vêm de três vitórias por 3 sets a 0 – sobre os donos da casa, além de Bulgária e Polônia.

O equilíbrio deve permanecer na abertura desta segunda semana. A seleção brasileira, que ainda jogará contra Irã e Bulgária, conta com o grupo completo para as disputas. Um dos destaques na vitória sobre os Estados Unidos, o ponteiro Lipe espera que o time consiga manter o bom padrão de jogo apresentado nas primeiras partidas.

“Agora temos que dar continuidade a um trabalho que começou muito bem. Estamos treinando realmente bem e o grupo se conhece de uma maneira que ajuda bastante. A evolução vem em longo prazo e estamos neste momento”, disse Lipe.

O ponteiro sabe que seu time não terá facilidades nesta segunda semana, que ele considera ainda mais difícil do que a anterior.

“Vimos a Sérvia fazendo três jogos muito fortes na primeira semana, ganhando da Rússia, da Polônia e da Bulgária por 3 a 0. Sabemos que eles vão vir muito forte, principalmente neste primeiro jogo. Estamos preparados para mais uma série pesada, contra equipes que sacam muito forte. Acho que essa semana vai ter até mais complicada do que a que tivemos em casa”, opinou o atacante da seleção brasileira.

Lipe ainda lembrou o objetivo principal desta temporada, que são os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. “Temos que manter tudo isso para que o time possa fazer uma boa Liga Mundial e chegue no auge um pouco mais na frente, nos Jogos Olímpicos”, concluiu o jogador.

A seleção brasileira, maior vencedora da Liga Mundial, com nove títulos, está na Sérvia com os levantadores Bruninho e William, os opostos Wallace e Evandro, os centrais Lucão, Éder, Isac e Maurício Souza, os ponteiros Murilo, Lipe, Lucarelli, Maurício Borges e Douglas, e os líberos Serginho e Tiago Brendle.

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)

16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Sérvia x Brasil
24.06 (sexta-feira) – Brasil x Irã
25.06 (sábado) – Brasil x Bulgária

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Estrutura

Domingo, 19 Junho 2016 00:00
Publicado em Notícias

A etapa carioca da Liga Mundial encerrou neste domingo (18.06) com sucesso. A Arena Carioca 1, casa do vôlei nesta semana, recebeu um bom público que torceu, vibrou e embalou a seleção brasileira a conquistar três vitórias nas primeiras partidas oficiais da temporada. Cerca de 20 mil pessoas participaram da festa que contou com praticamente a mesma estrutura que será vista daqui a pouco mais de 40 dias, nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Na quinta-feira (16.06), primeiro dia de Liga Mundial, o Brasil contou com a torcida de quase quatro mil pessoas na Arena e bateu a seleção do Irã por 3 sets a 0. Na sexta (17.06), os jogadores receberam um número ainda de torcedores, 6.350, e venceram a Argentina pelo mesmo placar. Neste domingo, último dia de etapa, os brasileiros viram uma arena lotada, com cerca de 9.575 pessoas, e ganharam fôlego para derrotar o forte time dos Estados Unidos por 3 sets a 1.

O vôlei atraiu, ainda, atletas de outros esportes. O basquete esteve representado pelo ala armador, Marcelinho Machado, e pelo técnico José Neto, ambos do Flamengo, campeão do NBB no último dia 11 de junho. Para o treinador, a experiência ultrapassou a chance de ver uma partida de voleibol.

“Mais do que um jogo, é um grande evento do esporte. Poder estar presente em um evento assim é uma satisfação enorme. Foi uma grande partida, entre duas equipes que têm o mesmo objetivo: ser campeão das competições que disputam. Enfim, foi realmente uma alegria desfrutar desse momento”, afirmou Neto.

Um dos mais animados na torcida era o estudante Douglas Duarte, de 19 anos. Mesmo que acostumado a estar em partidas de vôlei, ele disse que, dessa vez, é ainda mais especial. “É ano olímpico. Parece que tudo fica diferente, desde a atuação dos jogadores, até a nossa torcida mesmo. Foram jogos muito bons e poder participar aqui bem de perto é sempre inesquecível”, disse Douglas.

Com as três vitórias na bagagem, a seleção brasileira segue para a Sérvia para a segunda semana da Liga Mundial. Em Belgrado, o time dirigido pelo técnico Bernardinho enfrentará os donos da casa, novamente o Irã e a Bulgária. Os jogos serão nos dias 23, 24 e 25 deste mês.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

No Rio de Janeiro

Domingo, 19 Junho 2016 00:00
Publicado em Notícias

Três vitórias em três jogos. O saldo da seleção brasileira masculina de vôlei foi positivo na etapa do Rio de Janeiro da Liga Mundial. Na primeira semana da competição, o time dirigido pelo técnico Bernardinho bateu o Irã, a Argentina e, na noite deste sábado (18.06), a seleção dos Estados Unidos. Na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro (RJ), o Brasil venceu por 3 sets a 1, com parciais de 25/19, 25/15, 22/25 e 25/22, em 2h03 de partida.

O oposto Anderson, dos Estados Unidos, foi o maior pontuador em quadra, com 19 acertos. O oposto brasileiro, Wallace, marcou um a menos, sendo 14 de ataque e quatro de bloqueio. Outro destaque ficou por conta do central Éder, responsável por uma grande passagem no saque, que virou o placar no quarto set.

“Estávamos treinando muito saque, trabalhamos de forma específica, e é muito bom ver que deu certo no jogo. Sabemos que essa é uma arme fundamental em todos os momentos, tanto agora na Liga Mundial, como nos Jogos Olímpicos. Fiquei feliz exatamente por isso, por conseguir executar na partida o que vinha fazendo nos treinos”, disse Éder, que fez quatro pontos de saque na partida.

O ponteiro Lucarelli, que marcou 17 pontos (14 de ataque, um de bloqueio e dois de saque), falou sobre a chance de, aos 24 anos, ser titular da seleção brasileira. “Todo o grupo me passa muita confiança, então fica um pouco mais fácil para colocar em quadra na hora do jogo tudo que treinamos. Fico feliz de poder corresponder a expectativa”, disse o atacante.

Lucarelli ainda comentou sobre o horário do início do jogo desta noite, 23h10, e afirmou que não houve diferença no rendimento da equipe. “Foi a primeira vez na minha vida que joguei neste horário e a adrenalina do jogo é exatamente a mesma. A programação do dia mudou um pouco, mas, na hora do jogo, não muda muito, não tem como sentir sono”, afirmou o ponteiro da seleção brasileira.

Nos dois primeiros jogos da etapa carioca, o Brasil venceu o Irã e a Argentina pelo placar de 3 sets a 0. Agora, a equipe brasileira segue para a Sérvia, onde enfrentará os donos da casa, os iranianos novamente e a seleção da Bulgária. Os jogos serão nos dias 23, 24 e 25 deste mês, em Belgrado, e terão transmissão ao vivo do canal SporTV.

O Brasil é o maior vencedor da Liga Mundial, com nove títulos (1993, 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009 e 2010) e entra nesta 27ª edição da Liga Mundial na busca pelo 10º título. Além disso, a seleção brasileira é recordista de pódios da competição: subiu em 19 das 26 edições, tendo nove medalhas de ouro, cinco de prata e quatro de bronze.

O JOGO

Os Estados Unidos saíram na frente e, com Lipe, o Brasil empatou em 1/1. Um novo empate em 4/4 demonstrou o equilíbrio do set. A seleção brasileira, no entanto, abriu boa vantagem em 9/5. No segundo tempo técnico, a diferença já era de seis pontos (16/10). Com Wallace, a equipe da casa chegou a 21/15. Quando a equipe de Bernardinho chegou a 23/17, o adversário pediu tempo. No final, no ataque de Lucarelli, o Brasil fechou em 25/19.

O segundo set começou com boa vantagem do Brasil. Na largadinha de Wallace, o placar foi para 7/3. No bloqueio de Lucão, a seleção brasileira chegou a 8/3. Em grande passagem de Éder pelo saque, a seleção brasileira abriu ampla vantagem em 12/3. Com Lucarelli, o time do Brasil fez 16/5. Os donos da casa mantiveram boa vantagem em 20/11. No ace de Éder, o Brasil chegou a 22/11. E, com Lucão no ataque, a seleção brasileira venceu por 25/15.

Diferente dos dois primeiros, o terceiro set teve bastante equilíbrio logo no início, com as equipes empatando em 3/3. No bloqueio de Lee, a equipe dos Estados Unidos fez 5/4. Com outro ponto de bloqueio, o adversário chegou a 10/7 e Bernardinho pediu tempo. O placar ainda foi favorável ao time visitante em 19/14. O Brasil reagiu e, bem no contra-ataque, chegou a 19/17. Foi a vez dos Estados Unidos pedirem tempo. A seleção brasileira não deixou o adversário abrir e manteve os dois pontos de diferença em 22/20. Com Lucarelli, o Brasil encostou em 22/21. Mas, os Estados Unidos fecharam em 25/22.

No quarto set, o Brasil abriu 3/0. No bloqueio triplo, o time da casa fez 4/1. O time dos Estados Unidos encostou em 5/4. No bom saque, a equipe visitante chegou ao empate em 7/7. No saque de Lucarelli, o Brasil chegou a 11/8. O adversário buscou e colocou um de vantagem em 16/15. Os norte-americanos abriram dois em 18/16 e Bernardinho pediu tempo. O placar estava em 20/17 quando Éder foi para o saque. Nesta passagem, o placar ficou empatado em 20/20. Ainda com Éder no saque, o Brasil fez 22/20. E, no final, a equipe brasileira fechou em 25/22.

EQUIPES

BRASIL – Bruninho, Wallace, Lucão, Éder, Lucarelli e Lipe. Líbero – Serginho
Entraram – Evandro, William
Técnico: Bernardinho

ESTADOS UNIDOS – Anderson, Russel, Sander, Lee, Christenson e Holt. Líbero – Shoji E.
Entraram – Shoji K., Priddy e Smith
Técnico: John Speraw

GALERIA DE FOTOS

http://2016.cbv.com.br/midia/galeria-de-imagens/item/12088-rio-de-janeiro-rj-brasil-x-estados-unidos.html

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Rio de Janeiro (RJ) - Brasil x Estados Unidos

Domingo, 19 Junho 2016 00:00
Publicado em Galeria

Crédito: Alexandre Loureiro/Inovafoto/CBV

Segunda vitória

Sexta, 17 Junho 2016 00:00
Publicado em Notícias

O Brasil conseguiu, na tarde desta sexta-feira (17.06), a segunda vitória na Liga Mundial. A equipe masculina de vôlei venceu a Argentina por 3 sets a 0 (25/21, 25/13 e 26/24), em 1h19 de partida, e acumula duas vitórias, depois de bater, também, o Irã na estreia. O time dirigido pelo técnico Bernardinho é o maior vencedor da Liga Mundial, com nove títulos.

Neste sábado (18.06), a seleção brasileira volta à quadra para o terceiro e último jogo da etapa. Às 23h10, o Brasil enfrentará os Estados Unidos novamente na Arena Carioca 1, com transmissão da Globo e do SporTV. A noite ainda será marcada por uma homenagem que a Confederação Brasileira se Voleibol (CBV) prestará a 78 atletas olímpicos desde Tóquio/64.

Um dos principais destaques da partida de hoje, o ponteiro Lucarelli saiu de quadra como maior pontuador, com 19 acertos – 16 de ataque, dois de saque e um de bloqueio. Depois do jogo, o atacante elogiou o desempenho da equipe brasileira e a troca de jogadores – Douglas no lugar de Murilo e Isac no de Maurício Souza – é importante.

“A mudança de jogadores ajuda a colocar todo mundo com ritmo de jogo. Nós ainda temos alguns jogos pela frente, e sabemos que temos muito a evoluir ainda, mas nossos treinos têm sido muito bons, com altíssimo nível e isso é muito bom para todos e acaba refletindo em nosso desempenho em quadra”, disse Lucarelli.

O central Isac voltou a jogar como titular da seleção brasileira depois de se recuperar de um desgaste na coluna, que o deixou de fora dos trabalhos iniciais da equipe. Reintegrado ao grupo desde o começo da semana passada, o jogador foi, nesta tarde, responsável por oito pontos do Brasil.

O capitão do Brasil, Bruninho, analisou o desempenho da equipe a cada parcial e garantiu estar satisfeito com mais um resultado positivo e, especialmente, pela calma necessária para a vitória.

“No geral foi um bom jogo. Conseguimos um padrão de saque, defesa e contra-ataque muito bom. Desperdiçamos alguns ataques, principalmente no primeiro set, mas, no segundo, conseguimos concretizar esses contra-ataques, o que nos ajudou a abrir boa vantagem. No terceiro set a partida ficou mais apertada por mérito da Argentina, que conseguiu forçar mais o saque. Mas, mantivemos a paciência e conseguimos sair desta situação complicada para conseguimos a vitória”, disse Bruninho.

Estreante em Liga Mundial, o ponteiro Douglas Souza, de 20 anos, jogou como titular e comemorou a oportunidade. “Está acontecendo tudo muito rápido. Em um ano eu estava disputando um Mundial infantojuvenil, no seguinte fui ao pódio no Pan (de Toronto 2015), e, em seguida, estou aqui com a seleção principal. Achei que não fosse jogar nesta primeira etapa, mas o Bernardinho confiou no meu potencial e está servindo como um grande teste, inclusive com a experiência de ter uma arena inteira gritando o meu nome”, concluiu Douglas.

O Brasil é o maior vencedor da Liga Mundial, com nove títulos (1993, 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009 e 2010) e entra nesta 27ª edição da Liga Mundial na busca pelo 10º título. Além disso, a seleção brasileira é recordista de pódios da competição: subiu em 19 das 26 edições, tendo nove medalhas de ouro, cinco de prata e quatro de bronze.

O JOGO

O primeiro set começou bastante equilibrado, com a Argentina em vantagem no 9/8. O Brasil buscou e, embalado pela torcida, chegou ao ponto de empate em 10/10. O placar seguiu igual em 14/14, 15/15 e 16/16. A partir deste momento, a seleção brasileira impôs seu ritmo e abriu boa vantagem em 20/16. No bloqueio simples de Isac, o Brasil fez 21/17. Os argentinos reagiram e conseguiram equilibrar novamente em 23/21. Mas, no bloqueio de Lucarelli, a equipe da casa fechou em 25/21.

O Brasil teve um ponto de diferença em 3/2. Logo depois, com grande saque de Lucarelli, o placar foi para 5/2 e os argentinos pediram tempo. No bloqueio de Lucão, o time da casa fez 7/3. Com Lucarelli, a equipe fez 10/5. A diferença no placar se manteve em cinco pontos em 14/9. No bloqueio de Douglas, o Brasil fez 16/9. Lucão pontuou no ataque, fez 20/11 para a equipe da casa, e a Argentina pediu tempo. O placar foi a 24/11, o time visitante ainda pontuou três vezes, mas o Brasil fechou em 25/13.

O terceiro set foi bastante equilibrado. A Argentina abriu 8/6 e o Brasil empatou em 8/8. O marcador ficou igual em diversos momentos (9/9/, 11/11, 14/14). A seleção da casa conseguiu abrir dois de vantagem em 16/14 e, depois de um longo rally e contando com erro do adversário, o Brasil fez 20/17. O time dirigido pelo técnico Bernardinho ainda fez 22/19, mas os argentinos buscaram e chegaram ao empate em 24 pontos. Com dois pontos seguidos de Lucarelli, a seleção brasileira fechou em 26/24.

EQUIPES

BRASIL – Bruninho, Wallace, Lucão, IsacSouza, Lucarelli e Douglas. Líbero – Serginho
Entraram – Evandro, William
Técnico: Bernardinho

ARGENTINA – De Cecco, Lima, Solé, Ramos, Bruno e Poglajen. Líbero – González
Entraram – Martinez, Uriarte, Palacios, Crer e Imhoff
Técnico: Julio Velasco

GALERIA DE FOTOS

http://2016.cbv.com.br/midia/galeria-de-imagens/item/12084-rio-de-janeiro-rj-17-06-2016-brasil-x-argentina.html

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Parceiros Oficiais