Clarissa Laurence

Clarissa Laurence

Na Polônia

Domingo, 17 Julho 2016 00:00

A boa campanha durante toda a fase classificatória e também na Fase Final da Liga Mundial é um sinal de que a seleção brasileira masculina de vôlei está no caminho certo para chegar bem nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, considerado o principal compromisso do ano. Neste domingo (17.07), porém, a equipe não conseguiu manter o bom retrospecto de apenas uma derrota em 12 jogos e acabou superada pela Sérvia, na Tauron Arena, em Cracóvia, na Polônia, por 3 sets a 0 (22/25, 22/25 e 21/25), em 1h25 de partida.

Na primeira fase, o Brasil venceu o Irã, a Argentina e os Estados Unidos em casa; perdeu para a Sérvia e derrotou novamente os iranianos e a Bulgária, em Belgrado, na Sérvia; e venceu Polônia, Bélgica e França, em Nancy, na França, encerrando a fase classificatória na primeira posição. Na Fase Final, já em Cracóvia, bateu Itália e Estados Unidos na etapa de grupos, e a França na semifinal.

O time vice-campeão contou com o bom desempenho de todo o grupo ao longo da competição. Após a decisão, dois brasileiros estiveram entre os melhores da Liga Mundial. Wallace foi eleito o melhor oposto e Maurício Souza, o melhor central. Wallace ainda foi o maior pontuador da final, com 18 acertos.

Após a partida, o capitão Bruninho lamentou o resultado, mas, acima de tudo, a atuação da equipe brasileira. “Cometemos mais erros do que o normal e sofremos uma pressão enorme desde o início, principalmente no saque. Nós fomos cometendo muito erros e isso foi minando a confiança do nosso time. Eles defenderam muito bem e colocaram uma energia muito grande em quadra. Com isso, cresceram e ganharam muita confiança”, opinou Bruninho.

O levantador do Brasil ainda falou sobre a importância de já pensar no próximo passo. “É decepcionante, mas não tempos nem muito tempo para ficar assim. Já tempos que virar a chave para o que vem pela frente, uma edição de Jogos Olímpicos na nossa casa, e continuar”, complementou Bruninho.

O ponteiro Lucarelli, um dos destaques da seleção brasileira durante toda a Liga Mundial, também comentou sobre o número de erros nesta noite – a equipe brasileira teve o total de 24 erros, contra 11 do adversário.

“Eles jogaram muito bem, mas nós tempos demérito nessa partida. Podíamos ter feito um jogo melhor e o número de erros que cometemos foi excessivo. Isso colocou eles na partida. Parabéns para o time da Sérvia e agora tempos que colocar a cabeça no lugar porque temos um campeonato muito importante daqui a pouco”, disse Lucarelli, se referindo aos Jogos Olímpicos.

O técnico da seleção brasileira falou sobre o jogo. “Não vai ser fácil o nosso caminho. Depois de uma final como essa, uma série de coisas virão. O lado positivo é que foi agora. Temos que aprender com isso, seguir em frente, nos fortalecer. Sabemos que vamos sofrer para conquistar o que queremos e essa é uma lição que tempos que aprender. A partida de hoje foi dura, difícil e as coisas não aconteceram da forma como gostaríamos”, disse Bernardinho.

Estiveram com a seleção nesta Fase Final da Liga Mundial os levantadores Bruninho e William; os opostos Wallace e Evandro; os centrais Maurício Souza, Lucão, Éder e Isac; os ponteiros Murilo, Lipe, Maurício Borges, Lucarelli e Douglas, e os líberos Serginho e Tiago Brendle.

O JOGO

A Sérvia abriu o placar do jogo. Wallace foi o primeiro a pontuar para o Brasil. Os sérvios fizeram 4/2. Com dois bloqueios seguidos de Maurício Souza, a seleção brasileira assumiu o comando do marcador em 6/5. A Sérvia voltou a pontuar e fez 8/6. Os brasileiros buscaram e empataram em 10/10. O set esteve novamente igual em 13/13, mas, contando com erros do Brasil, a Sérvia abriu cinco em 18/13. Bernardinho pediu tempo. O adversário se manteve na frente em 20/15. Com Wallace no ataque e Lucarelli no ace, o Brasil diminuiu a diferença para 20/17. Lucarelli em um belo ponto de contra-ataque aproximou a seleção brasileira no placar 22/20, mas a Sérvia voltou a pontuar e fez 24/20. Maurício Borges pontuou duas vezes e o set foi para 24/22. No final, melhor para a Sérvia, que fechou em 25/22.

Os sérvios abriram 2/0 no começo do segundo set. O time brasileiro empatou em 3/3. O adversário abriu dois de diferença em 6/4 e três em 8/5. A vantagem sérvia foi a 11/7. Wallace pontuou bem e fez 11/9. No bloqueio de Wallace, o Brasil empatou em 12/12. A parcial seguiu equilibrada até a seleção da Sérvia abrir dois (16/14) e logo depois, quatro: 18/14. Neste momento, Bernardinho pediu tempo. No erro do Brasil, a Sérvia fez 20/15. Com dois bons saques de Bruno, a seleção brasileira fez 20/18 e o adversário parou o jogo. No bloqueio de Lipe, o Brasil encostou (21/20), mas a Sérvia fechou em 25/22.

Assim como no set anterior, a Sérvia abriu 2/0. No bloqueio de Éder, o Brasil deixou tudo igual: 3/3. Os sérvios voltaram a abrir vantagem em 6/3 e Bernardinho pediu tempo. Em boa passagem de Bruninho pelo saque, o time brasileiro encostou em 7/6. No bloqueio de Lipe, o empate em 8/8. No ace do adversário, o placar ficou favorável em dois pontos para a Sérvia: 11/09. A diferença passou a cinco em 16/11. No ace de Éder, o Brasil reduziu a desvantagem para 16/13. Com ponto de bloqueio, os sérvios chegaram a 20/15 e depois a 22/17. Wallace marcou no saque (22/19) e a Sérvia pediu tempo. Os sérvios fecharam em 25/21.

EQUIPE

BRASIL – Bruno, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Maurício Borges e Lucarelli. Libero: Tiago Brendle
Entraram – Evandro, William, Lipe, Éder
Técnico: Bernardinho

SERVIA – Kovacevic, Ivovic, Jovovic, Luburic, Podrascanin e Lisinac. Libero: Majstorovic
Entraram – Nikic
Técnico: Nikola Grbic

Melhores do campeonato:

MVP - Marko Ivovic (Sérvia)
Melhor ponteiro - Marko Ivovic (Sérvia)
Melhor ponteiro - Antonin Rouzier (França)
Melhor central - Mauricio Souza (Brasil)
Melhor central - Srecko Lisinac (Sérvia)
Melhor líbero - Jenia Grebennikov (França)
Melhor levantador - Simona Giannelli (Itália)
Melhor oposto - Wallace (Brasil)

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)

16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)
24.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 1 Irã (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17)
25.06 (sábado) – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/14, 25/21 e 25/12)

Nancy (França)

01.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Polônia (30/28, 25/21 e 25/16)
02.07 (sábado) – Brasil 3 x 2 Bélgica (20/25, 25/23, 22/25, 25/23 e 15/11)
03.07 (domingo) – Brasil 3 x 1 França (25/21, 26/24, 22/25 e 25/21)

FASE FINAL

Cracóvia (Polônia)

13.07 (quarta-feira) – Brasil 3 x 0 Itália (25/18, 25/20 e 25/19)
15.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 2 Estados Unidos (24/26, 21/25, 28/26, 25/21 e 15/12)
16.07 (sábado) – Semifinal – Brasil 3 x 1 França (25/16, 23/25, 28/26 e 33/21)
17.07 (domingo) – Final – Brasil 0 x 3 Sérvia (22/25, 22/25 e 21/25)

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Busca pelo ouro

Sábado, 16 Julho 2016 00:00

O Brasil é finalista da Liga Mundial 2016. A seleção brasileira masculina de volei venceu a França neste sábado (16.07) e decidirá o campeonato contra a Sérvia, neste domingo (17.07), às 15h30 (Horário de Brasília), com transmissão apo vivo do canal SporTV. A vitória sobre os franceses foi conquistada depois de muito equilíbrio, por 3 sets a 1, com parciais de 25/16, 23/25, 28/26 e 33/31, em 2h16 de partida, na Tauron Arena, em Cracóvia, na Polônia.

A seleção da Sérvia passou pela Itália neste sábado depois de outra disputa bastante equilibrada. Os sérvios só garantiram a vaga na final no tie break e serão os adversários do Brasil neste domingo. Itália e França disputam o terceiro lugar a partir das 12h30 – também no Horário de Brasília.

No duelo entre Brasil e França, destaque para os opostos. O francês Rouzier marcou 27 pontos, mas o brasileiro Wallace foi o maior pontuador da partida, com 29, sendo 25 de ataque, dois de bloqueio e dois de saque. Após a partida, o atacante brasileiro falou sobre o desgaste de um desafio neste alto nível.

“Foi um jogo extremamente cansativo, mas não só fisicamente. Um último set de 33/31 cansa muito mentalmente também, então, temos que ter a cabeça muito boa em uma situação como essa e nos conseguimos. Não nos desesperamos, mesmo naqueles momentos mais tensos, quando queremos fechar o jogo. Tivemos tranquilidade no momento certo e isso foi fundamental”, afirmou Wallace.

A tensão também ficou por conta de um movimento feito central Maurício Souza, que sentiu as costas e teve que ser substituído por Éder no terceiro set. No final do jogo, Maurício afirmou estar bem. “Fui dar um peixinho para tentar salvar uma bola, senti a coluna e tive que sair, mas agora já estou me sentindo bem melhor e acredito que dê para jogar amanhã”, disse, Maurício, confiante.

Éder entrou e deu uma boa contribuição para a vitória. No quarto set, quando o Brasil perdia por 16/10, o central foi para o saque e a equipe verde e amarela pontuou 10 vezes seguidas, sem deixar o adversário marcar nenhuma vez. O placar pulou para 20/16 e o jogador afirmou só ter conseguido o feito pela ajuda dos companheiros.

“Foi um jogo muito especial, mas também muito difícil. Sabíamos da qualidade do time da França e, tirando o primeiro set, foi um jogo com muita dificuldade. O que mostramos mais uma vez hoje é que tempos um grupo muito forte. Infelizmente, o Maurício sentiu as costas, eu precisei entrar, consegui aquela boa sequência de saque, mas isso só foi possível pela força do time”, afirmou Éder.

O técnico Bernardinho destacou uma característica específica da seleção brasileira no duelo deste sábado. “O ponto alto da partida foi a resiliência do time, ou seja, é difícil jogar contra um time como esse, estar seis pontos atrás e recuperar. E isso aconteceu duas ou três vezes. Esse é um ponto muito importante. Quando estamos em um ambiente onde há um equilíbrio tão grande, essa é uma característica que tem que ser permanente”, disse o treinador.

Atualmente, Bernardinho conta com 15 jogadores: os levantadores Bruninho e William; os opostos Wallace e Evandro; os centrais Maurício Souza, Lucão, Éder e Isac; os ponteiros Murilo, Lipe, Maurício Borges, Lucarelli e Douglas, e os líberos Serginho e Tiago Brendle.

O JOGO

A França abriu o placar da partida. Lucarelli respondeu. Com Maurício Souza no bloqueio, o time brasileiro fez 3/1. O placar ainda foi a 4/1 e os franceses pediram tempo. Com Wallace, o Brasil chegou a 8/5. No bloqueio de Lucarelli, 10/7. Novamente com ele, desta vez no contra-ataque, 11/7. A vantagem se manteve em quatro em 14/10. Em grande levantamento de Bruninho para Lucão, 15/10. No bloqueio, o Brasil chegou a 18/12 e o adversário pediu tempo. A diferença ainda foi a 20/12. No ace de Maurício Borges, o marcador foi para 22/13. No final, vitória brasileira por 25/16.

O segundo set começou equilibrado, com o empate em 3/3. No ponto de saque, os franceses assumiram o comando do placar. Ainda com Clevenot no saque, a França fez 6/3 e Bernardinho pediu tempo. A vantagem francesa aumentou em 8/4. O Brasil diminuiu a diferença para 8/6, mas o adversário voltou a abrir em 13/7. Em boa passagem de Bruninho pelo saque, o Brasil buscou e, no bloqueio de Maurício Souza, chegou a 13/11. Com dois bloqueios seguidos de Souza, a seleção brasileira empatou: 14/14. E, no ace de Lucarelli, 15/14. Com Wallace, o Brasil fez 18/16. Os franceses chegaram ao empate (19/19) e passaram a frente em 21/20. No ace de Le Roux, o adversário fez 23/21 e Bernardinho parou o jogo. A França fechou em 25/23.

Os franceses voltaram do intervalo embalados e, com Le Roux no saque, abriram 3/0. Bernardinho pediu tempo. A diferença se manteve em 6/3. No primeiro tempo técnico, o placar apontava 8/4 para a França. A equipe brasileira reduziu a desvantagem para 10/8. No bloqueio de Lucão, 11/10. O adversário voltou a abrir três em 14/11. O Brasil buscou novamente e deixou tudo igual em 15/15. O set seguiu disputado ponto a ponto, com novo empate em 17/17. Bem no saque, os franceses fizeram 19/17 e Bernardinho pediu tempo. A vantagem seguiu em dois para a França em 21/19. Em boa passagem de Wallace no saque, a equipe brasileira deixou tudo igual em 21 pontos. Novo empate em 23/23. No bloqueio de Evandro, 24/23. A parcial ficou igual em 25/25 e 26/26. No final, vitória do Brasil por 28/26.

A seleção brasileira teve um bom início no terceiro set e abriu 3/1. A França empatou em 3/3 e assumiu o comando do placar em 6/5. Na sequência foi a vez do Brasil passar a frente (7/6). Os franceses, então, fizeram 9/7 e, quando chegaram a 11/8, o time brasileiro pediu tempo. Em longa passagem de Ngapeth pelo saque, a vantagem adversária passou a 14/8. No segundo tempo técnico, o time francês vencia por seis de vantagem: 16/10. Com Éder no saque, os brasileiros buscaram e fizeram 16/13. O adversário pediu tempo. O Brasil ainda fez 16/14. No ace de Éder, 16/15. O placar ficou igual em 16/16 e a França parou o jogo. Na volta, bloqueio do Brasil: 17/16. Ainda com Éder no saque, o time verde e amarelo marcou 10 pontos seguidos sem deixar o adversário pontuar: 20/16. A França não permitiu a reação e deixou tudo igual em 20/20. O Brasil bloqueou, fez 22/20 e o adversário empatou (22/22). Ficou tudo igual em 24/24. O time francês fez 26/25. A parcial empatou mais uma vez em 28/28. Maurício Borges fez 29/28. Wallace fez 32/31. No final, vitória do Brasil por 33/31.

EQUIPES

BRASIL – Bruno, Wallace, Lucão, Maurício Souza, Maurício Borges e Lucarelli. Libero: Serginho
Entraram – Evandro, William, Lipe
Técnico: Bernardinho

FRANCA – Rouzier, Toniutti, Ngapeth, Le Roux, Le Goff e Marechal. Libero: Grebennikov
Entraram – Lyneel, Clevenot, Pujol, Rossard
Técnico: Laurent Tillie

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)

16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)
24.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 1 Irã (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17)
25.06 (sábado) – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/14, 25/21 e 25/12)

Nancy (França)

01.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Polônia (30/28, 25/21 e 25/16)
02.07 (sábado) – Brasil 3 x 2 Bélgica (20/25, 25/23, 22/25, 25/23 e 15/11)
03.07 (domingo) – Brasil 3 x 1 França (25/21, 26/24, 22/25 e 25/21)

FASE FINAL

Cracóvia (Polônia)

13.07 (quarta-feira) – Brasil 3 x 0 Itália (25/18, 25/20 e 25/19)
15.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 2 Estados Unidos (24/26, 21/25, 28/26, 25/21 e 15/12)
16.07 (sábado) – Semifinal – Brasil 3 x 1 França (25/16, 23/25, 28/26 e 33/21)
17.07 (domingo) – Final – 15h30 – Brasil x Sérvia

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Por 3 a 2

Sexta, 15 Julho 2016 00:00

A seleção brasileira masculina de volei perdeu os dois primeiros sets, se recuperou, virou o jogo e saiu de quadra, nesta sexta-feira (15.07), com a vitória sobre os Estados Unidos na última partida da fase de grupos da Fase Final da Liga Mundial. O Brasil venceu por 3 sets a 2 (24/26, 21/25, 28/26, 25/21 e 15/12), em 2h22 de partida, na Tauron Arena, em Cracóvia, na Polônia. A equipe dirigida pelo técnico Bernardinho disputa a semifinal neste sábado (16.07), às 15h30 (Horário de Brasília), contra a França. Itália e Sérvia se enfrentam na disputa pela outra vaga na final de domingo. Americanos e poloneses estão eliminados.

Nesta sexta, a seleção do Brasil começou a partida com um time diferente. Os chamados reservas corresponderam e conseguiram uma importante virada. O oposto Evandro foi o maior pontuador da noite – que ainda contou com a vitória da França sobre a Sérvia, também por 3 a 2 – com 25 acertos. O atacante marcou 21 pontos de ataque e três de bloqueio. Outro destaque ficou por conta do levantador William, que falou sobre a oportunidade que outros jogadores tiveram de atuar nesta partida.

“Sabíamos que poderíamos sofrer um pouco pelo ritmo de jogo, mas o time jogou muito bem, se portou bem diante de uma excelente equipe. Aproveitamos a chance da melhor maneira possível. Por isso, foi até bom fazer um 3 a 2”, brincou William, que também falou sobre a disputa na seleção. “Cada um sabe a função que tem na equipe e trabalhamos da melhor forma sempre pensando nisso. Tempos 15 grandes jogadores, todos querem estar em quadra, claro, mas o mais importante sempre é a vitória do Brasil”.

Outra novidade na formação de hoje foi a entrada do ponteiro Douglas, de apenas 20 anos. “Todo dia, todo treino é incrível para mim. Ter a oportunidade de jogar é muito bom. Cada dia aqui na seleção é como se eu ganhasse cinco anos de experiência. Não fiz um bom jogo no ataque, mas acho que consegui fazer a função de colocar a bola na mão do William ou do Bruninho para ajudar dessa forma”, disse Douglas.

O técnico Bernardinho elogiou o desempenho da seleção brasileira, mas já pensa no desafio deste sábado. “A única forma de conseguirmos o nosso objetivo, de brigar por medalhas, é tendo um grupo efetivamente. Hoje, vimos isso. Foi bom ter vencido porque dá moral e convicção do trabalho, mas agora começa tudo do 0 a 0. Ter classificado em primeiro é importante para fazermos o segundo jogo de amanhã e termos um intervalo um pouco maior para descansar”, destacou o treinador.

Bernardinho ainda ressaltou as qualidades do adversário. “Essa é uma geração muito talentosa e a França é o time desses últimos dois anos. Para nos, é um excelente desafio. Acredito que amanhã seja um jogo sem favoritos”, concluiu o técnico da seleção brasileira.

Atualmente, Bernardinho conta com 15 jogadores: os levantadores Bruninho e William; os opostos Wallace e Evandro; os centrais Maurício Souza, Lucão, Éder e Isac; os ponteiros Murilo, Lipe, Maurício Borges, Lucarelli e Douglas, e os líberos Serginho e Tiago Brendle.

O JOGO

A partida começou igual no empate em 1/1. No ace de William, 2/1 para o Brasil. O placar esteve novamente igual em 5/5. Os norte-americanos abriram três de vantagem em 9/6. A diferença passou a 11/7 e Bernardinho pediu tempo. Com ponto de saque de Mauricio, a equipe brasileira reduziu a desvantagem para 12/11. Com Isac, o Brasil empatou: 12/12. Ainda com Maurício no saque, a virada. Quando o placar apontou 14/12, os Estados Unidos pediram tempo. A parada deu resultado e os adversários voltaram a frente do placar: 16/15. Ainda fizeram 18/15 e Bernardinho parou o jogo. A vantagem dos americanos alternou entre dois e três pontos até Isac empatar no bloqueio: 22/22. O set seguiu equilibrado até os Estados Unidos fecharem em 26/24.

O segundo set começou novamente com equilíbrio, com empate em 4/4. A partir deste momento, os Estados Unidos passaram a pontuar melhor e abriram 8/5. Com Douglas na entrada de rede, o Brasil encostou em 10/9. E no ace de Isac, 10/10. Com Evandro, a seleção brasileira assumiu o comando do placar (13/12). Na sequência, esteve a frente também em 16/15. No ace de Anderson, os americanos fizeram 18/17 e Bernardinho pediu tempo. Com ponto de bloqueio, os Estados Unidos fizeram 21/17. A vantagem adversária era de três em 23/20. Na sequência, o time americano venceu por 25/21.

O Brasil começou o terceiro set com Lipe em quadra. No bloqueio de Evandro, empate em 3/3. De novo com Evandro, pontuando no saque, o time fez 5/4. A vantagem brasileira foi de dois em 8/6. Quando o placar marcou 10/7 para a seleção brasileira, os Estados Unidos pediram tempo. O adversário reagiu, diminuiu a diferença de três para um (15/14), e deixou tudo igual em 15/15. Bernardinho pediu tempo. Mais um empate em 18/18 e, com Isac, o Brasil fez 19/18. No erro do adversário, 20/18. Com ponto de contra ataque de Lipe, 21/18. Evandro fez 23/20. Os americanos encostaram em 23/22 e chegaram ao empate em 23/23. No ace de Lipe, o Brasil fez 25/24. Depois foi a vez de o adversário passar a frente: 26/25. Com ponto de saque de Éder, 27/26. No bloqueio de Wallace, o Brasil fechou em 28/26.

A equipe verde e amarela começou melhor e, com Evandro, fez 5/3. Em combinação de William com Isac, 9/6. No ace de Maurício, o Brasil chegou a 11/8 e o adversário pediu tempo. Na volta, mais um ponto de saque do ponteiro (12/08). No erro do adversário, a seleção brasileira abriu quatro de vantagem: 15/11. Com Lipe pelo meio fundo, o Brasil marcou 19/16. A vantagem foi a mesma em 23/20, quando Éder pontuou para o Brasil. No final, melhor para a seleção brasileira, que fechou em 25/21.

O set decisivo começou melhor para os Estados Unidos, que abriram 4/1. Neste momento, Bernardinho pediu tempo. A diferença caiu um pouco em 6/4 para os americanos. Na troca de quadra, a equipe dos Estados Unidos vencia por 8/5. No bloqueio de Douglas, o Brasil encostou em 8/7. Mas, o adversário voltou a pontuar bem e, quando fez 11/8, o técnico da equipe brasileira pediu tempo. Evandro deixou o Brasil com apenas um ponto atrás: 12/11. No bloqueio de Éder, 12/12. Mais um bloqueio de Éder e 13/12. No final, vitória verde e amarela por 15/12.

EQUIPES

BRASIL – William, Evandro, Isac, Éder, Maurício Borges e Douglas. Libero Tiago Brendle
Entraram – Bruninho, Wallace, Lipe
Técnico: Bernardinho

ESTADOS UNIDOS – Anderson, Russel, Sander, Lee, Christenson e Holt. Libero: Shoji E.
Entraram – Priddy, Troy
Técnico: John Speraw

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)

16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)
24.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 1 Irã (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17)
25.06 (sábado) – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/14, 25/21 e 25/12)

Nancy (França)

01.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Polônia (30/28, 25/21 e 25/16)
02.07 (sábado) – Brasil 3 x 2 Bélgica (20/25, 25/23, 22/25, 25/23 e 15/11)
03.07 (domingo) – Brasil 3 x 1 França (25/21, 26/24, 22/25 e 25/21)

FASE FINAL

Cracóvia (Polônia) 

13.07 (quarta-feira) – Brasil 3 x 0 Itália (25/18, 25/20 e 25/19)
15.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 2 Estados Unidos (24/26, 21/25, 28/26, 25/21 e 15/12)
16.07 (sábado) – 15h30 – Brasil x França

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Na semi

Quinta, 14 Julho 2016 00:00

De folga na tabela nesta quinta-feira (14.07), a seleção brasileira masculina de vôlei treinou e acompanhou a vitória da Itália sobre os Estados Unidos. Bastava que os italianos perdessem um set para que o Brasil garantisse a classificação para as semifinais – o que aconteceu com o resultado de 3 a 1. Portanto, nesta sexta (15.07), o Brasil entra em quadra já classificado para enfrentar os americanos, às 15h30 (Horário de Brasília), na Tauron Arena, em Cracóvia, na Polônia, para a última partida desta fase. O confronto terá transmissão ao vivo do SporTV.

Brasil e Estados Unidos já se enfrentaram nesta edição da Liga Mundial, ainda na primeira semana, no Rio de Janeiro (RJ), e o time da casa venceu por 3 sets a 1. Desta vez, no entanto, espera-se uma nova história. Para o oposto Wallace, o momento é outro e toda a equipe tem que estar preparada e jogar com a mesma concentração.

“Acho que independentemente do que aconteceu no Brasil, quando fizemos uma boa partida, agora é outro momento, fase final é outro campeonato, e temos que entrar para fazer o nosso melhor. Vamos buscar fazer o nosso melhor jogo como sempre”, disse o oposto Wallace.

O líbero Serginho também se preocupa com a força do adversário, mesmo depois do resultado negativo desta quinta-feira.

“É sempre muito difícil jogar contra os Estados Unidos. É um time que joga taticamente muito correto. Eles entram com uma tática de jogo e não mudam. Mas o nosso time está vivendo um momento muito bom e temos que entrar com o gás total para fazer uma boa partida e garantir essa vaga na semifinal”, afirmou Serginho.

Já ciente do resultado do jogo entre Itália e Estados Unidos e da classificação, o central Lucão falou sobre a partida de amanhã.

“Estávamos acompanhando pelo site o ponto a ponto, o set estava super equilibrado e, quando os Estrados Unidos fecharam o set conseguimos respirar um pouco mais aliviados. Com isso, podemos jogar um pouco mais tranquilos amanhã, mas não significa relaxar. Sabemos que o time deles é muito forte e que vai ser mais um grande teste para a nossa equipe”, concluiu Lucão.

Chegaram a Fase Final da Liga Mundial 2016 as seleções de Brasil, Itália, Estados Unidos, França, Sérvia e Polônia. Nesta primeira etapa da Fase Final, os dois melhores de cada chave seguem para as semifinais e os dois vencedores se enfrentarão na grande decisão, no dia 17. O Brasil é o maior vencedor da Liga Mundial, com nove títulos. A Itália tem um a menos.

Atualmente, Bernardinho conta com 15 jogadores: os levantadores Bruninho e William; os opostos Wallace e Evandro; os centrais Maurício Souza, Lucão, Éder e Isac; os ponteiros Murilo, Lipe, Maurício Borges, Lucarelli e Douglas, e os líberos Serginho e Tiago Brendle.

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)

16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)
24.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 1 Irã (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17)
25.06 (sábado) – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/14, 25/21 e 25/12)

Nancy (França)

01.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Polônia (30/28, 25/21 e 25/16)
02.07 (sábado) – Brasil 3 x 2 Bélgica (20/25, 25/23, 22/25, 25/23 e 15/11)
03.07 (domingo) – Brasil 3 x 1 França (25/21, 26/24, 22/25 e 25/21)

FASE FINAL

Cracóvia (Polônia)

13.07 (quarta-feira) – Brasil 3 x 0 Itália (25/18, 25/20 e 25/19)
15.07 (sexta-feira) – 15h30 – Brasil x Estados Unidos

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Grande estreia

Quarta, 13 Julho 2016 00:00

A seleção brasileira masculina de vôlei começou bem a disputa Fase Final da Liga Mundial. Nesta quarta-feira (13.07), a equipe do Brasil, maior vencedora da competição com nove títulos, encarou a Itália no primeiro jogo da reta decisiva e venceu por 3 sets a 0 (25/18, 25/20 e 25/19), em 1h24 de partida realizada na Tauron Arena, em Cracóvia, na Polônia.

A equipe dirigida pelo técnico Bernardinho terá folga na tabela nesta quinta (14.07) e voltará a jogar na sexta (15.07), desta vez contra os Estados Unidos. A partida será as 15h3 (Horário de Brasília), com transmissão ao vivo do SporTV.

Nesta quarta, o ponteiro Lucarelli foi um dos destaques da partida. O atacante saiu de quadra como maior pontuador da partida, com 14 acertos (nove de ataque, um de bloqueio e quatro de saque). Outro ponteiro, Mauricio Borges, também contribuiu bem para o resultado positivo, com 11 pontos.

“Nos preparamos desde a primeira semana em que estivemos juntos, em Saquarema, para chegar neste momento. Hoje foi um jogo, acho até que a Itália não jogou tão bem, mas nós conseguimos imprimir o nosso ritmo e depois tudo andou a nosso favor”, disse Borges.

Outro Mauricio, este o Souza, central, também teve atuação de destaque na primeira partida do Brasil nesta Fase Final da Liga Mundial.

O jogador foi responsável por 10 pontos, sendo cinco de bloqueio. “O crescimento da equipe está indo de acordo com o que está sendo trabalhado e o resultado foi dentro do esperado pela qualidade com que jogamos. A vitória por 3 a 0, sem perder nenhum ponto, é muito importante e todo o grupo esta de parabéns”, destacou Mauricio Souza.

Além de Brasil, Italia e Estados Unidos, que estão no mesmo grupo, ainda estão na disputa pelo titulo as seleções da França, Sérvia e a Polônia, que joga em casa. Nesta primeira etapa da Fase Final, os dois melhores de cada chave seguem para as semifinais e os dois vencedores se enfrentarão na grande decisão, no dia 17. O Brasil é o maior vencedor da Liga Mundial, com nove títulos. A Itália tem um a menos.

Atualmente, Bernardinho conta com 15 jogadores: os levantadores Bruninho e William; os opostos Wallace e Evandro; os centrais Maurício Souza, Lucão, Éder e Isac; os ponteiros Murilo, Lipe, Maurício Borges, Lucarelli e Douglas, e os líberos Serginho e Tiago Brendle. A cada semana da Liga Mundial são inscritos 14.

O JOGO

A Itália abriu 2/0 logo no começo do jogo. Ainda melhor em quadra, o adversário abriu 4/1. O Brasil reagiu e, com Wallace, chegou apo empate em 4/4. A equipe brasileira passou a frente em 8/7 no bloqueio de Lucarelli. O time de Bernardinho abriu três em 12/09 e os italianos pediram tempo. No bloqueio de Borges, 15/12, e no ataque de Wallace, 16/12. Com Mauricio Borges, a seleção brasileira fez 18/13. No erro do adversário, o placar foi favorável ao Brasil em 20/14. A Itália passou a pontuar (22/18) e o Brasil pediu tempo. Na volta, no ace de Lucarelli, 23/18. No final, o time brasileiro fechou em 25/18.

O Brasil abriu 2/0 logo no começo do segundo set. A Itália deixou tudo igual em 2/2. A parcial seguiu equilibrada, com as equipes empatadas em 6/6. No ace de Bruno, a seleção brasileira fez 8/6. Ainda pontuando bem, o time verde e amarelo chegou a 10/6. A vantagem do Brasil aumentou em 13/8. No bloqueio de Mauricio Souza, 14/8. No segundo tempo técnico, 16/9. O time italiano buscou e diminuiu a diferença para 17/14. Bernardinho pediu tempo. Os italianos ainda aproximaram em 18/16. Com Mauricio Borges, o Brasil marcou 23/19 e, no bloqueio de Wallace, 24/19. No final, 25/20.

Lucarelli abriu o terceiro set com ponto de saque. Com Lucão, o time brasileiro fez 3/3 e, no ace de Wallace, 4/3. No bom saque de Borges, a equipe de Bernardinho abriu 7/4. Na sequencia, o Brasil fez 9/6. Os italianos chegaram ao empate 10/10. Lucão colocou a seleção brasileira em vantagem (13/12). Depois de boa recuperação de Mauricio Borges no peixinho, o Brasil pontuou e fez 16/14. No erro do adversário, o time de Bernardinho chegou a 20/15. Mauricio Souza marcou e fez 22/17. No final, com Borges, vitória por 25/19.

EQUIPES

BRASIL – Bruno, Wallace, Mauricio Souza, Lucão, Lucarelli e Mauricio Borges. Libero Serginho
Técnico: Bernardinho

ITALIA – Gianelli, Vettori, Birarelli, Buti, Juantorena e Zaytsev. Libero Massimpo
Entraram: Antonov, Lanza
Técnico: Gianlorenzo Blengini

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)

16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)
24.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 1 Irã (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17)
25.06 (sábado) – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/14, 25/21 e 25/12)

Nancy (França)

01.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Polônia (30/28, 25/21 e 25/16)
02.07 (sábado) – Brasil 3 x 2 Bélgica (20/25, 25/23, 22/25, 25/23 e 15/11)
03.07 (domingo) – Brasil 3 x 1 França (25/21, 26/24, 22/25 e 25/21)

FASE FINAL

Cracóvia (Polônia)

13.07 (quarta-feira) – Brasil 3 x 0 Itália (25/18, 25/20 e 25/19)
15.07 (sexta-feira) 15h30 – Brasil x Estados Unidos

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Nesta quarta

Terça, 12 Julho 2016 00:00

Primeira colocada na fase de classificação, a seleção brasileira masculina de vôlei estreia na Fase Final da Liga Mundial nesta quarta-feira (13.07). O primeiro desafio da nova etapa será contra a Itália, às 12h30 (Horário de Brasília), e terá transmissão ao vivo do canal SporTV. Toda a reta final, que conta ainda com Estados Unidos, Sérvia, França e Polônia, será realizada na Tauron Arena, em Cracóvia, na Polônia.

Enfrentar os italianos é, atualmente, uma missão especial para dois jogadores da seleção brasileira. O levantador Bruninho e o central Lucão jogaram juntos, na Itália, na temporada passada, quando defenderam o Modena, e passaram a conhecer ainda melhor alguns dos adversários desta quarta-feira.

“Acredito que vai ser diferente a partir de agora. Eu conheço mais os jogadores e eles me conhecem melhor também, então existe um pouco mais desse estudo em relação ao meu jogo e vamos ver como vamos nos sair. Vou tentar ludibriar um pouco esses caras que com certeza me conhecem muito bem hoje”, disse Bruninho.

O levantador está confiante e destaca o valor de enfrentar adversários de alto nível como os que estão na Fase Final – apenas a Sérvia não está classificada para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. “É importante, neste momento, ter os melhores testes possíveis. Estamos entre os seis melhores times do mundo, muito motivados e querendo mostrar o nosso jogo agora”, afirmou o capitão do Brasil.

O central Lucão também elogiou a seleção italiana. “São pessoas espetaculares e grandes jogadores. O Vettori tem tudo para ser um dos melhores opostos do mundo, o Piano é um grande central, que bloqueia muito bem, o líbero é excelente. Enfim, deu para conhecer bem o estilo de jogo deles e acho que vou conseguir ajudar os meus companheiros com algumas informações”, disse Lucão.

Para o técnico Bernardinho, toda atenção será necessária nesta primeira partida. “Eles têm opções de troca, já que o Zaytsev está jogando de ponteiro e pode alternar como oposto, e estamos esperando para conhecer como vai ser contra o nosso time. A Itália tem um vigor físico enorme e depende muito disso. Saque e bloqueio, sistema defensivo, talvez seja o ponto alto deles. A entrada do Juantorena, o cubano naturalizado, deu um algo a mais no sentido de força e capacidade de decidir”, analisou Bernardinho.

Nesta primeira etapa da Fase Final, os dois melhores de cada chave seguem para as semifinais e os dois vencedores se enfrentarão na grande decisão, no dia 17. O Brasil é o maior vencedor da Liga Mundial, com nove títulos. A Itália tem um a menos.

Atualmente, Bernardinho conta com 15 jogadores: os levantadores Bruninho e William; os opostos Wallace e Evandro; os centrais Maurício Souza, Lucão, Éder e Isac; os ponteiros Murilo, Lipe, Maurício Borges, Lucarelli e Douglas, e os líberos Serginho e Tiago Brendle. A cada semana da Liga Mundial são inscritos 14.

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)

16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)
24.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 1 Irã (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17)
25.06 (sábado) – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/14, 25/21 e 25/12)

Nancy (França)

01.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Polônia (30/28, 25/21 e 25/16)
02.07 (sábado) – Brasil 3 x 2 Bélgica (20/25, 25/23, 22/25, 25/23 e 15/11)
03.07 (domingo) – Brasil 3 x 1 França (25/21, 26/24, 22/25 e 25/21)

FASE FINAL

Cracóvia (Polônia)

13.07 (quarta-feira) – 12h30 – Brasil x Itália
15.07 (sexta-feira) 15h30 – Brasil x Estados Unidos

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Palco das finais

Segunda, 11 Julho 2016 00:00

Depois de cinco dias intensos de treinamento no Euro Volley Center, em Vilvoorde, na Bélgica, a seleção brasileira masculina de vôlei já está em Cracóvia, na Polônia, sede da Fase Final da Liga Mundial. A equipe fez o primeiro treino no local dos próximos jogos nesta segunda-feira (11.07), em preparação para a estreia na etapa, na próxima quarta-feira (13.07), contra a Itália. Os Estados Unidos também estão no grupo do Brasil nesta primeira fase. França, Sérvia e Polônia são os outros times na disputa pelo título.

A seleção brasileira terá italianos e norte-americanos pela frente nesta fase de grupos. Os dois melhores de cada chave seguem para as semifinais e os dois vencedores se enfrentarão na grande decisão, no dia 17. O Brasil é o maior vencedor da Liga Mundial, com nove títulos. A Itália tem um a menos.

Após o primeiro treino na Tauron Arena, um ginásio com capacidade para quase 15 mil pessoas, o oposto Wallace demonstrou bastante otimismo em relação aos próximos jogos. Segundo o atacante, a semana em Vilvoorde foi extremamente produtiva e a equipe segue bem preparada para buscar o décimo título.

“Treinamos muito bem e a Liga Mundial está sendo muito boa para a nossa equipe. Eu quero ajudar a seleção a conquistar esse deca e eu, particularmente, ainda não tenho nenhum título da Liga, então, é algo que eu busco também. O time está bem, viemos com boas atuações na fase classificatória e esse é o caminho para continuarmos bem agora na Fase Final”, comentou Wallace.

O oposto do Brasil elogiou o atual momento do grupo dirigido pelo técnico Bernardinho. “Estamos muito focados, concentrados e querendo muito essa medalha de ouro. Sabemos que não vai ser um caminho fácil, temos grandes adversários aqui na Polônia, mas o time está bem fechado e temos ótimas expectativas para essas finais”, concluiu Wallace.

Atualmente, Bernardinho conta com 15 jogadores: os levantadores Bruninho e William; os opostos Wallace e Evandro; os centrais Maurício Souza, Lucão, Éder e Isac; os ponteiros Murilo, Lipe, Maurício Borges, Lucarelli e Douglas, e os líberos Serginho e Tiago Brendle. A cada semana da Liga Mundial são inscritos 14 atletas.

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)

16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)
24.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 1 Irã (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17)
25.06 (sábado) – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/14, 25/21 e 25/12)

Nancy (França)

01.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Polônia (30/28, 25/21 e 25/16)
02.07 (sábado) – Brasil 3 x 2 Bélgica (20/25, 25/23, 22/25, 25/23 e 15/11)
03.07 (domingo) – Brasil 3 x 1 França (25/21, 26/24, 22/25 e 25/21)

FASE FINAL

Cracóvia (Polônia)

13.07 (quarta-feira) – 12h30 – Brasil x Itália
15.07 (sexta-feira) – 15h30 – Brasil x Estados Unidos

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Na Bélgica

Quinta, 07 Julho 2016 00:00

A seleção brasileira masculina de vôlei segue em forte ritmo de preparação para a Fase Final da Liga Mundial, que será de 13 a 17 deste mês, em Cracóvia, na Polônia. Depois de se classificar para a etapa decisiva na primeira colocação, a equipe brasileira faz sua preparação no Euro Volley Center, em Vilvoorde, próximo a Bruxelas, na Bélgica. O time dirigido pelo técnico Bernardinho treina para enfrentar Itália e Estados Unidos na fase de grupos. Polônia, França e Sérvia são as outras seleções na disputa.

Um dos destaques do Brasil na fase classificatória, o ponteiro Lucarelli sabe da importância destes dias no Euro Volley Center. “Estamos em um centro de treinamento onde todo o nosso foco está voltado para o trabalho. Os treinos estão com um ritmo forte e o grupo está correspondendo muito bem”, disse Lucarelli.

O ponteiro encerrou a fase de classificação da Liga Mundial como melhor sacador, terceiro melhor atacante e quatro maior pontuador. Os números são importantes, mas, segundo Lucarelli, a força do grupo é muito maior.

“Usamos todos os jogadores que estavam à disposição durante a fase classificatória e vimos que o nível foi mantido. Contra a França, atual campeã da Liga Mundial, fiquei de fora e conseguimos uma boa vitória. Isso sempre prevaleceu na seleção brasileira e continua desta forma. O que temos de mais valioso é o grupo”, afirmou Lucarelli.

Atualmente, Bernardinho trabalha com 15 jogadores: os levantadores Bruninho e William; os opostos Wallace e Evandro; os centrais Maurício Souza, Lucão, Éder e Isac; os ponteiros Murilo, Lipe, Maurício Borges, Lucarelli e Douglas, e os líberos Serginho e Tiago Brendle. A cada semana da Liga Mundial são inscritos 14.

A seleção brasileira chegou ao centro de treinamento na última segunda-feira (04.07) e fica até o próximo domingo (10.07), quando seguirá para a Polônia. Os primeiros jogos do Brasil serão nos dias 13 e 15, contra Itália e Estados Unidos, na busca por uma vaga na semifinal, que será disputada no dia 16. No dia seguinte, acontecerá a grande final.

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)

16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)
24.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 1 Irã (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17)
25.06 (sábado) – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/14, 25/21 e 25/12)

Nancy (França)

01.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Polônia (30/28, 25/21 e 25/16)
02.07 (sábado) – Brasil 3 x 2 Bélgica (20/25, 25/23, 22/25, 25/23 e 15/11)
03.07 (domingo) – Brasil 3 x 1 França (25/21, 26/24, 22/25 e 25/21)

FASE FINAL

Cracóvia (Polônia)

13.07 (quarta-feira) – 12h30 – Brasil x Itália
15.07 (sexta-feira) 15h30 – Brasil x Estados Unidos

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Preparação

Terça, 05 Julho 2016 00:00

Primeira colocada na tabela da fase de classificação da Liga Mundial, com oito vitórias em nove jogos, a seleção brasileira masculina de vôlei já conhece o adversário da estreia na Fase Final. A primeira partida será contra a Itália, no dia 13 de julho, em Cracóvia, na Polônia. Os Estados Unidos completam este grupo, o J1. No K1 estão Polônia, Sérvia e França. Um dos seis times será o grande campeão.

Antes de chegar a Fase Final, a equipe dirigida pelo técnico Bernardinho se prepara no Euro Volley Center, em Vilvoorde, uma cidade bem próxima a Bruxelas, na Bélgica. A equipe chegou no centro de treinamento na última segunda-feira (04.07) e fica até o próximo domingo (10.07), quando seguirá para a Polônia.

A semana será intensa, de muito trabalho, e a expectativa pelas finais é enorme. Para o ponteiro Maurício Borges, os próximos dias serão de grande importância na reta final de preparação da equipe brasileira, que terá um adversário duro logo na estreia das finais.

“A Itália é um adversário super difícil, estão temos que entrar firmes desde o começo, sacando forte e constante. Com certeza, nosso saque vai fazer a diferença nessa partida. E, além disso, é preciso ajustar bloqueio e passe para conseguirmos o resultado positivo. Só pensamos nisso e estamos nos preparando muito bem”, disse Maurício Borges, que complementou.

“Temos que continuar trabalhando forte, ralando muito para seguirmos firme no nosso objetivo. Essa semana é muito importante para o crescimento maior do grupo. Estamos cada vez mais juntos, com o mesmo foco e totalmente concentrados nos treinos”, concluiu o ponteiro da seleção brasileira.

Na primeira etapa, a seleção dirigida pelo técnico Bernardinho venceu o Irã, a Argentina e os Estados Unidos, em casa, no Rio de Janeiro (RJ). Na segunda semana, a equipe verde e amarela viajou até Belgrado, na Sérvia, e foi superado no primeiro jogo pelos donos da casa. Nos outros dois jogos, bateu o Irã e a Bulgária. E, nesta terceira etapa, o Brasil levou a melhor sobre a Polônia, Bélgica e França.

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)

16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)
24.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 1 Irã (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17)
25.06 (sábado) – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/14, 25/21 e 25/12)

Nancy (França)

01.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Polônia (30/28, 25/21 e 25/16)
02.07 (sábado) – Brasil 3 x 2 Bélgica (20/25, 25/23, 22/25, 25/23 e 15/11)
03.07 (domingo) – Brasil 3 x 1 França (25/21, 26/24, 22/25 e 25/21)

FASE FINAL

Cracóvia (Polônia)

13.07 (quarta-feira) – 12h30 – Brasil x Itália
15.07 (sexta-feira) 15h30 – Brasil x Estados Unidos

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Chave de ouro

Domingo, 03 Julho 2016 00:00

Já classificada para a Fase Final da Liga Mundial, a seleção brasileira masculina de vôlei não se acomodou e conseguiu mais uma vitória na competição. A equipe dirigida pelo técnico Bernardinho enfrentou a França, que jogou em casa, e, neste domingo (03.07), venceu por 3 sets a 1 (25/21, 26/24, 22/25 e 25/21), em 1h58 de jogo disputado no Palais des Sports, em Nancy, na França.

Esse foi o último compromisso da seleção brasileira na fase classificatória da Liga Mundial. O time encerrou com a campanha de oito vitórias em nove jogos – Irã, Argentina e Estados Unidos na primeira semana; Irã e Bulgária na segunda; e Polônia, Bélgica e França na terceira. A única derrota foi para a Sérvia, na casa do adversário, no quarto jogo.

Agora, o grupo segue para Bélgica, onde treinará na próxima semana, na preparação para a Fase Final, que será em Cracóvia, na Polônia, entre os dias 13 a 17 de julho.

Neste domingo, o time brasileiro contou com grande atuação do central Maurício Souza, maior pontuador do jogo, ao lado do francês Ngapeth, com 19 acertos. O jogador marcou 10 de ataque e nove de bloqueio. Após a partida, Maurício comemorou a vitória e, principalmente, o bom desempenho da equipe.

“O jogo foi muito bom, superação total. O nosso time entrou um pouco diferente, mas conseguimos manter o nível. Conseguimos jogar com garra, concentração. Mesmo sabendo que estávamos classificados, tínhamos o objetivo de ir para a Fase Final com mais moral e a confiança ainda maior”, disse Maurício Souza.

O jogador ainda falou sobre o destaque no bloqueio. “Me preparei bem para conseguir uma boa atuação e a oportunidade aparece. Dessa vez apareceu para mim e estou muito feliz por conseguir aproveitar”, disse o central.

O Brasil é o maior vencedor da Liga Mundial, com nove títulos (1993, 2001, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009 e 2010) e entra nesta 27ª edição da Liga Mundial na busca pelo décimo. Além disso, a seleção brasileira é recordista de pódios da competição: subiu em 19 das 26 edições, tendo nove medalhas de ouro, cinco de prata e quatro de bronze.

O JOGO

A França abriu o jogo com o ponteiro Ngapeth. Bruninho devolveu na bola de segunda. A equipe brasileira passou a frente e, com Evandro, fez 4/3. No ace de Maurício Borges, 7/3. Em boa passagem de Ngapeth no saque, o time da casa encostou em 7/6 e Bernardinho pediu tempo. Na volta, empatou em 7/7 e virou para 8/7. A seleção brasileira voltou a comandar o placar em 9/8. As seleções empataram em 11/11. No bloqueio de Bruninho, 13/11. Então, foi a vez da França marcar no bloqueio e deixar tudo igual de novo (14/14). Na sequência, os donos da casa abriram dois em 16/14. A diferença permaneceu em dois pontos em 19/17. No bloqueio de Maurício Souza, o Brasil deixou tudo igual: 20/20. Mais um bloqueio de Maurício Souza e a seleção brasileira chegou a 22/21. No ace de Wallace, 23/21. Evandro colocou no chão e fez 24/21. E, no bloqueio de Maurício Souza, o Brasil fechou em 25/21.

O segundo set começou com equilíbrio, com as equipes empatando em 3/3. No bloqueio de Maurício Souza, o Brasil passou a frente em 7/6. Com bloqueios de Maurício Borges e Evandro, a equipe brasileira abriu três em 10/7. No bom saque de Ngapeth, os franceses deixaram tudo igual (11/11) e Bernardinho pediu tempo. A parcial seguiu bem disputada, com mais um empate em 14/14. Com Maurício Borges, a seleção brasileira fez 16/15. Depois, foi a vez de Maurício Borges colocar o time na frente em 19/18. No bloqueio, a França fez dois de vantagem (21/19). O Brasil buscou e empatou em 22 pontos. Mais um empate em 24/24. E, com dois bons saques de Wallace, a seleção brasileira fechou em 26/24.

Evandro abriu o placar do terceiro set. Com Maurício Souza, o Brasil fez 3/2. Douglas colocou a equipe brasileira em vantagem em 5/4. Bem no saque, a França abriu 7/5 e Bernardinho parou o jogo. Os donos da casa ainda fizeram 8/5. O Brasil buscou e, no bloqueio de Maurício Souza, encostou em 9/8. Os franceses abriram três em 13/10 no ponto de saque e, na sequência, fez 16/12. No erro do Brasil, a diferença no placar aumentou em 18/13 e o técnico Bernardinho pediu tempo. No bloqueio, os donos da casa ainda fizeram 19/13 e, depois, 21/15. A seleção brasileira reduziu a desvantagem para 21/18 e os franceses pediram tempo. Mas, a equipe anfitriã voltou a pontuar e fez 24/20. O Brasil fez 24/22 e a França pediu tempo. Na volta, fechou em 25/22.

A França abriu o set e fez 2/0. A equipe da casa ainda fez 4/2. No bloqueio, Isac colocou o Brasil encostado no placar (4/3) e Evandro deixou tudo igual em 4/4. Embalado pela torcida, o time francês abriu dois em 8/6. No bloqueio de Douglas, a seleção brasileira empatou (8/8). Com mais um ponto de bloqueio de Maurício Souza, mais um empate: 10/10. Com Ngapeth no saque, a França fez 14/11. A equipe de Bernardinho buscou e, com Bruninho bem no saque, deixou tudo igual em 14 pontos. No erro do adversário, o Brasil fez 16/15. O time verde e amarelo seguiu melhor e quando marcou 19/16 o adversário pediu tempo. Com Wallace, o placar foi para 23/20. No final, vitória brasileira por 25/21.

EQUIPES

BRASIL – Bruno, Evandro, Éder, Maurício Souza, Douglas e Maurício Borges. Líbero – Tiago Brendle
Entraram – Wallace, Williamm Isac
Técnico: Bernardinho

FRANÇA – Pujol, Rouzier, Le Roux, Le Goff, Ngapeth e Lyneel. Líbero – Grebennikov
Entraram – Rossard, Lafitte, D´Almeida
Técnico: Laurent Tillie

Jogos do Brasil na Liga Mundial

Rio de Janeiro (Brasil)

16.06 (quinta-feira) – Brasil 3 x 0 Irã (25/19, 25/16 e 28/26)
17.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/21, 25/13 e 26/24)
18.06 (sábado) – Brasil 3 x 1 Estados Unidos (25/19, 25/15, 22/25 e 25/22)

Belgrado (Sérvia)

23.06 (quinta-feira) – Brasil 1 x 3 Sérvia (25/19, 15/25, 21/25 e 22/25)
24.06 (sexta-feira) – Brasil 3 x 1 Irã (25/18, 24/26, 25/16 e 25/17)
25.06 (sábado) – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/14, 25/21 e 25/12)

Nancy (França)

01.07 (sexta-feira) – Brasil 3 x 0 Polônia (30/28, 25/21 e 25/16)
02.07 (sábado) – Brasil 3 x 2 Bélgica (20/25, 25/23, 22/25, 25/23 e 15/11)
03.07 (domingo) – Brasil 3 x 1 França (25/21, 26/24, 22/25 e 25/21)

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Parceiros Oficiais