Clarissa Laurence

Clarissa Laurence

Alô, jornalistas

Domingo, 05 Julho 2015 21:00

A imprensa já pode se credenciar para a cobertura da Fase Final da Liga Mundial, que acontecerá de 15 a 19 de julho, no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro (RJ). A seleção brasileira, maior vencedora da competição, com nove títulos, terá outras cinco equipes na disputa pelo título: Estados Unidos, Sérvia, Itália, Polônia e mais uma, que ainda não está definida.

As solicitações deverão ser feitas individualmente no site da FIVB: www.fivb.org/EN/Media/accreditation.asp. Se o jornalista já for registrado, basta fazer o login na mesma página, clicando no botão localizado na coluna à direita.

Para novos cadastros, a inserção da foto no formulário é obrigatória, assim como o preenchimento dos seguintes campos:

- Last name
- First name
- Nationality
- Gender
- Email address
- Birthdate
- Function
- Media organization
- Phone number
- Mobile number

No quinto passo, cada jornalista deverá selecionar o evento no Rio de Janeiro, de 15 a 19 de julho. A confirmação e instruções de retirada das credenciais serão anunciadas nos próximos dias.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro

Super vitória

Quarta, 01 Julho 2015 21:00

Comumente, Brasil e Itália fazem confrontos de grande rivalidade no vôlei. Nesta quinta-feira (02.07), a história se repetiu no ginásio Aecim Tocantins, Cuiabá (MT), onde as equipes se enfrentaram pela última rodada da fase classificatória da Liga Mundial. No final do confronto, vitória brasileira por 3 sets a 0 (25/20, 26/24 e 25/19), e, 1h26 de jogo que contou com a casa cheia, com cerca de 11.600 torcedores.

Nesta tarde, o ponteiro Lucarelli foi um dos principais destaques. O atacante foi o maior pontuador, com 12 acertos, e, após a partida, afirmou que o 3 a 0 não corresponde a realidade do que enfrentaram dentro de quadra. “Às vezes o placar engana um pouco. Hoje foi um jogo difícil, o calor estava muito forte e isso foi desgastante e ainda bem que conseguimos uma vitória”, comentou Lucarelli.

Capitão do Brasil e aniversariante do dia, o levantador Bruninho sentiu o calor da torcida cuiabana e o calor da cidade de Cuiabá “Saímos de Sydney, onde jogamos no último domingo, em uma temperatura abaixo de 10 graus para enfrentar esse calor agora, mas isso é algo que estamos acostumados. Jogamos no Brasil quase sempre nesse calor. Sentimos um pouco, mas procuramos hidratar sempre e nos preparamos para isso”, disse Bruninho.


De volta a beira da quadra, depois de 10 jogos de suspensão, o técnico Bernardinho gostou do que viu nesse retorno ao comando da seleção brasileira.

“Fizemos um bom primeiro set e, no segundo, começamos mal, mas talvez tenha sido o mais interessante da partida. Começamos mal, mas soubemos recuperar, colocamos pressão no saque, jogamos com inteligência e foi importante a vitória. No terceiro, soubemos controlar bem. Foi um bom resultado, mas ainda temos que melhorar mais amanhã”, analisou Bernardinho, sempre exigente.

As seleções brasileira e italiana voltam a se enfrentar nesta sexta-feira (03.07), novamente às 14h (Horário de Brasília), no mesmo local, para o último jogo das duas equipes na fase classificatória. A partida terá transmissão ao vivo da Globo e da Band. O Brasil já está classificado por ser o país-sede e, também, pela pontuação, já que é líder do Grupo A. A Itália, segunda colocada, também está garantida.

A Fase Final, onde estarão as seis melhores seleções da Liga Mundial, acontecerá de 14 a 19 de julho, no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro (RJ).

O JOGO

O Brasil começou melhor e abriu 3/1. Os donos da casa seguiram com boa vantagem em 7/3. No potente ataque de Wallace, a seleção foi para o primeiro tempo técnico com quatro de vantagem (8/4). Quando o Brasil chegou a 12/8, a seleção italiana pediu tempo. Depois de uma bola bastante disputada, Isac atacou e pontuou para a seleção brasileira: 15/11. Contando com erros da Itália, o Brasil chegou a 20/15. Depois de bom saque de Lucarelli, o Brasil contra atacou e Wallace fez 24/19. Para finalizar o set, Lucarelli fez 25/20.

O segundo set começou diferente, favorável a Itália, que logo abriu 8/2. No bloqueio simples de Lucão, a diferença caiu para 8/4. Depois de longa disputa, Wallace finalizou a jogada e fez o quinto ponto. Os italianos voltaram a abrir e colocaram o dobro de pontos em 12/6. No ace de Lucão, a vantagem adversária caiu para 13/10. Com ponto de saque de Lucarelli, o Brasil chegou ao ponto de empate: 16/16. A equipe da casa manteve o bom ritmo e fez 21/19. A Itália buscou e quando o marcador estava em 22/22, Bernardinho pediu tempo. Novo empate em 24/24. Mas, no bloqueio de Murilo, o Brasil fechou em 26/24.

O equilíbrio permaneceu no início da terceira parcial. No erro do Brasil, a Itália colocou dois de vantagem (5/3). Na china de Lucão, a seleção brasileira encostou em 8/7. O time da casa virou e assumiu o comando do placar em 11/10 e, partir daí, dominou a parcial. Contando com apoio da torcida, a seleção brasileira manteve o bom ritmo e, na parcial mais tranquila, fechou em 25/19.

EQUIPES

BRASIL – Bruno, Wallace, Isac, Lucão, Murilo e Lucarelli. Líbero – Serginho
Entraram – William, Evandro, Lipe
Técnico: Bernardinho

ITÁLIA – Travica, Vettori, Birarelli, Anzani, Zaytsev e Lanza. Líbero – Colaci
Entraram – Sabbi, Massari, Antonov, Mengozzi
Técnico: Mauro Berruto

GALERIA DE FOTOS

http://2015.cbv.com.br/midia/galeria-de-imagens/item/21752-cuiaba-mt-02-07-2015-liga-mundial-2015-brasil-x-italia

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro

 

Clássico

Terça, 30 Junho 2015 21:00

De todo o grupo que está com a seleção brasileira masculina de vôlei, o líbero Serginho é o mais experiente. Aos 39 anos, é o mais velho entre os 17 jogadores que estão em Cuiabá (MT) para os dois jogos pela última etapa da fase classificatória da Liga Mundial. Os confrontos serão nesta quinta (02.07) e na sexta (03.07), às 14h (Horário de Brasília), com transmissão da Globo e da Band, e Serginho e companhia estão preparados para encarar esse super clássico do voleibol mundial.

"Estamos evoluindo e os treinos estão fortes como sempre. Todos os atletas tiveram a possibilidade de jogar, mostraram que o grupo está forte. Estamos muito concentrados e atentos aos detalhes, e esse jogo contra a Itália é mais um clássico, uma partida que todos querem vencer. É importante para que o grupo também vá se readaptando ao Brasil, após viagens longas lá fora", destacou Serginho.

O grupo brasileiro chegou a Cuiabá na noite de segunda-feira (29.06) após três semanas no exterior: Sérvia, Itália e Austrália. Ainda buscando a adaptação ao fuso horário, a seleção treinou no horário do jogo na terça (30.06) e também na tarde desta quarta (01.07), o que, segundo o central Riad, é importante neste momento.

“Viemos de vários fusos diferentes depois de uma semana na Sérvia, uma na Itália e uma na Austrália. Estamos nos adaptando. Hoje, por exemplo, acordei às 5h30, então é um processo. Nosso planejamento é todo feito para que consigamos essa adaptação o mais rápido possível. Aqui é bastante quente, então estamos treinando no horário dos jogos. Vamos sentir, mas temos que tentar minimizar e fazer com que isso não atrapalhe”, explicou Riad.

Depois de um longo período longe de casa, estar em Cuiabá e receber todo o carinho do público local tem sido especial para os jogadores. “O carinho da cidade é muito bom. Normalmente é assim por onde passamos, inclusive no exterior. Aqui não seria diferente. O pessoal de Cuiabá tem um carinho muito grande por todos nós e queremos retribuir jogando bem e conseguindo boas vitórias sobre os italianos”, concluiu o central Riad.

O jogo desta quinta-feira marcará o retorno do técnico Bernardinho ao comando da seleção brasileira. O treinador cumpriu uma suspensão de 10 jogos imposta pelo painel disciplinar da Federação Internacional de Voleibol (FIVB) e, sob o comando do assistente Rubinho, o Brasil somou oito vitórias e sofreu apenas dois resultados negativos – um para a Sérvia e outro para a Itália. Com a campanha, a equipe brasileira lidera o Grupo A, com 24 pontos.

GALERIA DE FOTOS

http://2015.cbv.com.br/midia/galeria-de-imagens/item/21745-cuiaba-mt-01-07-2015-treino-da-selecao-brasileira

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro

Bernardinho de volta

Segunda, 29 Junho 2015 21:00

Foram 10 jogos pela fase classificatória da Liga Mundial assistindo de longe. Mas, após cumprir a suspensão de 10 partidas imposta pelo painel disciplinar da Federação Internacional de Voleibol (FIVB), Bernardinho está de volta. E o retorno à beira da quadra será nesta semana, em Cuiabá (MT), onde a seleção brasileira masculina fará dois jogos contra a Itália, na quinta (02.06) e na sexta (03.06), às 14h (Horário de Brasília), com transmissão da Globo e da Band.

Para estas partidas, o ponteiro Murilo e o líbero Serginho, que não estiveram na etapa da Austrália, estão de volta. E, antes de comandar o time, Bernardinho teve que administrar a chegada da seleção ao Brasil. Após três semanas fora do país, o grupo enfrentou uma maratona de 32 horas de viagem entre Sydney, na Austrália, e Cuiabá. A equipe chegou na madrugada de segunda (28.06) para terça (30.06) e nesta manhã já fez treinos físico e com bola.

“Claro que a qualidade do trabalho, do treinamento, não é a melhor. O cansaço do corpo, da mente, depois de tantas horas de viagem, com o fuso horário, tudo é diferente. Os atletas sentem, mas fomos para a academia e depois para a quadra. O mais importante é ver a dedicação o grupo. O treino não foi dos melhores, mas o empenho deles foi grande e isso é fundamental. Não esperava uma atuação perfeita, e sim o esforço máximo neste treino e isso que foi colocado em quadra hoje”, detalhou Bernardinho.

Depois de 10 jogos fora, o treinador da seleção brasileira fez questão de destaca o trabalho de toda a comissão técnica. Sob o comando de Rubinho, seu assistente e responsável por comandar o grupo na sua ausência, o Brasil conquistou 8 vitórias e sofreu apenas dois resultados negativos.

“Ao longo da minha trajetória na seleção, tive grupos de trabalho excepcionais. Desde quando comecei lá atrás, com o Tabach e com o Chico na seleção masculina, depois, o Rubinho, e o Juba, que está conosco há menos tempo. Assim como eu acredito que a força vem do time e não da individualidade, na comissão técnica acontece o mesmo. Isso se demonstra na CT. Claro que quero dar a minha contribuição, quero estar junto, mas o mais importante é que todos estejam alinhados com a mesma filosofia, metodologia, e isso tem acontecido”, destacou.

Agora, de volta ao comando, Bernardinho está feliz. “É bom poder estar na quadra, já que a minha vida é ali. Foi duro para mim, fui ferido, mas tirei um aprendizado disso tudo. Tenho páginas de observações que fiz ao assistir o jogo de outro lugar. Na quadra, se vê muita coisa, mas agora foi por uma ótica diferente. Tanto em relação a postura dos jogadores, reações em determinados momentos e muita coisa que posso trazer dessa minha experiência fora das quadras”, concluiu Bernardinho.

Após a disputa em Cuiabá, a seleção brasileira seguirá para a Fase Final da Liga Mundial, que acontecerá de 14 a 19 de julho, no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro (RJ).

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro

 

Para fechar a conta

Sábado, 27 Junho 2015 21:00

A seleção brasileira masculina de vôlei retornará para casa com duas boas vitórias sobre a Austrália pela Liga Mundial. Depois de vencer os donos da casa por 3 sets a 1 no sábado (27.06), a equipe verde e amarela derrotou os australianos, neste domingo (28.06), por 3 a 0 (25/22, 25/20 e 25/15), em 1h24 de partida disputada em Sydney.

Neste segundo jogo, o ponteiro do Brasil, Lucarelli, foi o maior pontuador, com 15 acertos, mesmo número de pontos marcados pelo oposto australiano, Edgar. O jogador brasileiro marcou 12 vezes no ataque, duas no saque e uma no bloqueio.

Dupla de ponteiros campeã mundial sub-23 no ano de 2013, Lucarelli e Lucas Lóh foram os titulares da posição na partida de hoje. Os jovens jogadores – Lucarelli tem 23, e Lóh, 24 – analisaram e elogiaram o desempenho do Brasil ao longo desta Liga Mundial.

“Temos que ver que toda a excursão fora do Brasil foi positiva. Agora, terminamos com uma vitória, que é sempre importante, e conseguimos rodar bem time e isso também é muito interessante para a comissão técnica. Eu mesmo estou chegando agora e já estou tendo uma oportunidade como essa. Fico muito feliz”, disse Lucas Lóh.

Lucarelli também gostou da atuação do Brasil nesta etapa australiana. “Assim como no jogo de ontem, conseguimos fazer uma pressão de saque neles, nosso bloqueio funcionou mais uma vez e conseguimos anular um pouco o principal jogador deles, que é o Edgar e isso facilita bastante. A nossa rodada de bola foi muito alta ontem e hoje, o que vai forçando o erro deles e isso ajuda para o nosso lado”, explicou Lucarelli.

Nesta segunda-feira (29.06), a seleção voltará para o Brasil e seguirá direto para Cuiabá (MT), onde será a próxima etapa da Liga Mundial. Neste último fim de semana da fase classificatória, o time verde e amarelo enfrentará a Itália. Na casa do adversário, a equipe brasileira venceu uma partida por 3 sets a 1 e foi superada em outra por 3 a 2.

O JOGO

A Austrália abriu o placar do jogo explorando o bloqueio adversário. O Brasil não permitiu que os donos da casa abrissem vantagem e, no bloqueio de Vissotto, fez 4/2. No ace de Lucarelli, a seleção brasileira fez 6/4. Os australianos reagiram e reassumiram o comando do placar em 7/6. O set seguiu com equilíbrio. Com Lucarelli, o Brasil fez 13/12. Com ponto de bloqueio de Vissotto, o placar foi para 15/14. A diferença de um ponto foi sendo mantida. Com Lucão, a equipe visitante fez 17/16. No bloqueio, os australianos fizeram 19/18 e Rubinho pediu tempo. Com Lucarelli bem no ataque, a seleção brasileira conseguiu mais um empate em 20 pontos. E foi com o ponteiro no saque que o Brasil chegou a 22/21. No final, no bloqueio de Lucão, 25/22.

Embalado, o Brasil começou bem o segundo set e, com ponto de bloqueio de Vissotto, chegou a 4/2. Com o ponteiro Lucas Lóh, o time visitante fez 5/4 e, com Lucarelli, foi para o primeiro tempo técnico em vantagem (8/7). O empate em 12/12 deu ainda mais equilíbrio ao set. No ace de Lucas Lóh, 15/14 para os brasileiros. A seleção visitante abriu três de vantagem em 17/14. A diferença aumentou depois de bom saque de Lucarelli, que proporcionou o contra-ataque: 21/17. No bloqueio, o marcador mostrou 22/17 e a Austrália pediu tempo. Depois de bom saque de Éder, 24/18. E, com Lucão, o Brasil fechou em 25/20.

Os australianos saíram na frente na terceira parcial, mas no ponto de saque de Lucão, o Brasil virou para 2/1. Com o oposto Vissotto, o placar favorável ao Brasil foi para 9/5. No ace de Vissotto, a vantagem aumentou para seis pontos (11/5). Em combinação de jogada do levantador Raphael com o central Éder, a equipe brasileira fez 16/11. No ace de Vissotto, o placar foi para 18/12 e o time da casa pediu tempo. Com uma tranquilidade maior do que nos sets anteriores, o Brasil chegou a 20/14 com o ponteiro Lucas Lóh. No ace de Lipe, que havia entrado para sacar, a seleção brasileira fechou em 25/15.

EQUIPES

BRASIL – Raphael, Vissotto, Lucão, Éder, Lucarelli e Lucas Lóh. Líbero – Felipe
Entraram – Evandro, Bruno, Lipe
Técnico: Rubinho

AUSTRÁLIA – Peacock, Edgar, Mote, Passier, Sanderson e Douglas-Powell. Líbero – Perry
Entraram – Walker, Sukochev, Guymer, Roberts
Técnico: Roberto Santilli

GALERIA DE FOTOS

http://worldleague.2015.fivb.com/en/intercontinental-group1/schedule/5898-australia-brazil/match#Photos

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro

Mais uma vitória

Sexta, 26 Junho 2015 21:00

A seleção brasileira masculina de vôlei bateu a Austrália, neste sábado (27.06), pela quinta rodada da Liga Mundial. A equipe verde e amarela levou a melhor por 3 sets a 1 (25/17, 25/18, 23/25 e 25/20), em 1h50 de jogo em Sydney, na Austrália. Com isso, o Brasil, maior vencedor da história da competição, com nove títulos, soma sete vitórias e apenas dois resultados negativos nesta edição. 

As duas seleções voltam a se enfrentar na madrugada de sábado para domingo (28.06), às 3h, com transmissão da Band e do SporTV. Essa é a última etapa que a equipe brasileira fará no exterior. A próxima será em Cuiabá (MT), onde acontecerá a última etapa da fase classificatória. Por ser sede, o Brasil já está classificado para a Fase Final, que será de 14 a 19 de julho, no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro (RJ).

Neste sábado, os ponteiros tiveram boas atuações e ajudaram o Brasil a sair de quadra com a vitória. Lucarelli foi o maior pontuador, com 18 acertos (15 de ataque, dois de bloqueio e um de saque) e Lipe marcou 17 vezes, sendo 13 no ataque, três de saque e um de bloqueio. Após a partida, Lipe analisou o desempenho do Brasil no jogo de hoje.

“Baixou um pouco a concentração na volta do intervalo para o terceiro set, que aqui é mais longo e nós não estamos acostumados. Ficamos muito tempo parados e nosso bom ritmo de saque caiu bastante neste momento. Mesmo assim, conseguimos encostar no placar e, no finalzinho, perdemos a chance de fechar o set. Mas, tudo isso faz parte do aprendizado. Considero que fizemos um jogo muito bom hoje”, analisou Lipe.

O central Riad também comentou sobre a atuação do Brasil e concordou com o ponteiro sobre a questão do saque.

“Tivemos uma queda de rendimento, principalmente no nosso saque, que havia funcionado muito bem nos dois primeiros sets. Depois, tivemos erros bobos e, quando eles abriram nos não tivemos forças para buscar o set. Quando voltamos a sacar bem no quarto set, repetimos a boa atuação dos dois primeiros sets, quando fomos muito regulares em todos os fundamentos. Agora, temos que usar esses dois sets como referência para continuar crescendo e chegar bem na Fase Final”, concluiu Riad.

Com nove vitórias e apenas dois resultados negativos, o Brasil lidera o Grupo A da Liga Mundial, com 21 pontos. 

O JOGO

A Austrália abriu o placar do jogo e o time da casa seguiu na frente em 4/3. Com o oposto Wallace, o Brasil assumiu o comando do marcador: 7/6. Em boa passagem de Lipe pelo saque, o time brasileiro chegou a 10/6. Neste momento, o técnico da Austrália pediu tempo. No ponto de saque de Wallace, a seleção brasileira fez 13/8. A equipe visitante seguiu no comando do set e abriu seis de vantagem em 16/10. Dessa vez com Riad bem no saque, o Brasil aumentou a diferença para 18/10. Na largadinha de Wallace, o placar foi para 21/13. Com certa tranquilidade, a equipe brasileira administrou o set e, no bloqueio de Lipe, fechou em 25/17.

Lipe marcou o primeiro ponto do segundo set. O Brasil seguiu no comado do marcador até a Austrália conseguir o empate em 4/4. No bloqueio de Bruninho, a seleção verde e amarela colocou dois de vantagem no placar e fez 6/4. Na bola de segunda de Bruninho, 8/6. A vantagem brasileira aumentou ainda após bom saque de Lipe: 11/7. Com ponto de bloqueio de Lucarelli, o Brasil chegou a 15/10. Com Riad, a seleção verde e amarela colocou seis pontos de frente (18/12). Quando o placar foi para 20/13, a Austrália pediu tempo. Mas não houve tempo para reação. O Brasil fechou em 25/19.

Assim como na parcial anterior, Lipe abriu o terceiro set, porém desta vez com dois pontos de saque seguidos. Bem no bloqueio, a Austrália virou o placar e fez 3/2. As equipes estiveram empatadas em 5/5. Demonstrando poder de reação, os australianos fizeram 9/6. A seleção brasileira chegou ao empate em 10 pontos. Com ace de Sanderson, a Austrália chegou a 14/11 e Rubinho pediu tempo. Os donos da casa ainda fizeram 16/13 e, depois de um lance bastante disputado, 17/14. Já para o final do set, as seleções empataram em 20/20. A Austrália, então, fez dois pontos seguidos e, no 22/20, Rubinho parou o jogo. No ace de Riad, tudo igual no placar: 23/23. No final, melhor para a Austrália, que fechou em 25/23.

O quarto set começou também com equilíbrio, com as duas equipes empatadas em 2/2. No erro de saque da Austrália, o Brasil assumiu o comando do placar em 5/4. No bloqueio de Riad, a seleção brasileira fez 7/4 e o adversário pediu tempo. Mas a Austrália não permitiu que o time verde e amarelo deslanchasse no placar e deixou tudo igual em 7/7. No erro do Brasil, o adversário fez 9/8. O time visitante, então, reagiu e fez 14/11, forçando o adversário a pedir tempo. O placar voltou a ficar igual em 15 pontos. Com ponto de bloqueio de Bruninho, a seleção brasileira fez 18/15. O ace de Lucarelli deu o 20º ponto ao Brasil. No bloqueio de Isac, 23/19. No erro de saque da Austrália, 25/20.

EQUIPES

BRASIL – Bruno, Wallace, Riad, Isac, Lipe e Lucarelli. Líbero – Mário Jr.
Entraram – Raphael, Evandro, Lucas Lóh
Técnico: Rubinho


AUSTRÁLIA – Guymer, Sanderson, Edgar, Mote, , Walker e Sukochev. Líbero – Perry
Entraram – Williams, Peacock, Passier
Técnico: Roberto Santilli

GALERIA DE FOTOS

http://worldleague.2015.fivb.com/en/intercontinental-group1/schedule/5897-australia-brazil/match#Photos

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro

Longe de casa

Quinta, 25 Junho 2015 21:00

Líder do Grupo A da Liga Mundial, com 18 pontos, a seleção brasileira masculina de vôlei faz, nesta semana, a última da competição no exterior. A última parada antes de voltar para casa é em Sydney, na Austrália, onde enfrenta os donos da casa em dois jogos. O primeiro será neste sábado (27.06), às 6h (Horário de Brasília), com transmissão ao vivo da Band e do SporTV. O segundo será na madrugada de sábado para domingo (29.06), às 3h. Na sequência, o time seguirá para a etapa de Cuiabá (MT) e, depois, disputará a Fase Final no Rio de Janeiro (RJ).

Para as partidas contra os australianos, o técnico Rubinho, que substitui Bernardinho, suspenso por 10 jogos, não terá o ponteiro Murilo e o líbero Serginho, que retornaram ao Brasil após a etapa da Itália. O treinador terá relacionado, então, os levantadores Bruninho e Raphael; os opostos Wallace, Evandro e Vissotto; os centrais Riad, Lucão, Isac e Éder; os ponteiros Lucarelli, Lipe e Lucas Lóh e os líberos Mário Jr. e Felipe.

Estar hospedado no parque olímpico, onde tudo aconteceu nos Jogos Olímpicos de 2000, é algo valorizado pelos jogadores da seleção brasileira. Segundo o levantador Raphael, a experiência funcionou até uma motivação a mais durante os dias de preparação.

“A estrutura de treinamento é fantástica e poder usufruir de tudo que nos oferecem aqui no parque olímpico é uma motivação a mais. Poder estar aqui, fazer parte de toda a história que esse lugar tem, é incrível. Tenho certeza que os jogos de sábado e domingo têm tudo para ser um grande espetáculo”, disse Raphael.

O técnico Rubinho destacou a qualidade do adversário que o Brasil terá pela frente neste fim de semana. “A Austrália nesse ano com uma equipe um pouco mais nova do que a que jogou o ano passado. Está um pouco renovado, mas ainda é um bom time, tanto é que ganhou o direito de estar no Grupo 1 na quadra. Espero por dois jogos equilibrados”, afirmou Rubinho.

Também no Grupo A, ao lado do Brasil, estão Itália, com 13 pontos, e Sérvia, com 14. A Austrália aparece na quarta e última posição, com apenas três pontos somados. Por ser sede da fase de finais, o Brasil já tem vaga garantida para a última etapa, que será de 14 a 19 de julho, no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro

 

Para os jornalistas

Quarta, 24 Junho 2015 21:00

O credenciamento de imprensa para a etapa de Cuiabá (MT) da Liga Mundial 2015 já está aberto no site da Federação Internacional de Vôlei (FIVB). Os jornalistas interessados devem fazer a solicitação para os jogos que acontecerão nos dias 2 e 3 de julho, contra a Itália, no site www.fivb.org/EN/Media/accreditation.asp

A seleção brasileira masculina de vôlei já recebeu a Sérvia em Belo Horizonte (MG), nos dias 29 e 31 de maio, e assegurou duas vitórias. Depois, em São Bernardo do Campo (SP), venceu os dois jogos contra a Austrália. Na terceira etapa brasileira, enfrentará os italianos.

Os interessados deverão se cadastrar no sistema da entidade. Caso já estejam registrados, basta fazer o login na mesma página, clicando no botão localizado na coluna à direita.

Para novos cadastros, a inserção da foto no formulário é obrigatória, assim como o preenchimento dos seguintes campos:

- Last name
- First name
- Nationality
- Gender
- Email address
- Birthdate
- Function
- Media organization
- Phone number
- Mobile number

No quinto passo, cada jornalista deverá selecionar o evento World League 2015 – 1st Group e, então, escolher a cidade de Cuiabá (MT).
Após a aprovação do registro, cada jornalista receberá um login e uma senha, com os quais poderá efetuar outros pedidos de credenciamento no futuro.

Os jornalistas que tiverem seus pedidos aceitos serão informados pela assessoria de comunicação da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) sobre local e data de retirada das credenciais.

Em caso de dúvidas com o credenciamento para a Liga Mundial, entrar em contato com a assessoria de comunicação da FIVB através do e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..">O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo..

Demais dúvidas devem ser encaminhadas para a assessoria de comunicação da CBV, pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O Banco do Brasil é o patrocinador do vôlei brasileiro

Juventude

Quarta, 24 Junho 2015 14:45

A primeira convocação para a seleção brasileira adulta masculina aconteceu há dois anos, em 2013, quando já estava no Sada Cruzeiro (MG), seu atual clube. Agora, aos 24 anos, Isac é um dos centrais aproveitado pelo técnico Rubinho, que substitui Bernardinho durante a suspensão de 10 jogos nesta Liga Mundial 2015. Ao lado de três jogadores mais experientes na sua posição – Lucão, de 29 anos, Éder, de 31, e Riad, de 33 – Isac busca aprender cada vez mais.

Na preparação para os jogos do próximo fim de semana, contra a Austrália, a seleção brasileira treina pesado em Sydney, onde enfrentará o próximo adversário. Isac e companhia lideram o Grupo A da competição, com 18 pontos após seis vitórias e apenas dois resultados negativos. E ter a chance de presenciar toda a vivência do grupo que tem Bernardinho como líder vem sendo algo enriquecedor na carreira do jovem central.

“A oportunidade de estar jogando é incrível. Tenho observado muito o jogo do Lucão, que sempre se destaca, do Riad, que vem crescendo muito na seleção, e do Éder, outro grande central. Estar ao lado deles é fundamental. Tento absorver o máximo desses jogadores, que são mais experientes do que eu. Assim, tento me destacar também”, disse Isac.

O Brasil volta à quadra no próximo sábado (27.06) às 06h10, e na madrugada de sábado para domingo (28.06), às 03h30 – ambos no Horário de Brasília. As equipes já se enfrentaram no Brasil, em São Bernardo do Campo (SP), onde a seleção da casa venceu as duas partidas, nos dias 05 e 07 de junho, por 3 sets a 1 e 3 a 0, respectivamente.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro

Sem dar chances

Sábado, 20 Junho 2015 21:00

Brasil x Itália no vôlei masculino sempre tem emoção e equilíbrio. Mas, depois de um 3 a 2 favorável aos italianos na última sexta-feira (19.06), neste domingo (21.06), a equipe brasileira teve menos dificuldades e levou a melhor ao vencer por 3 sets a 0 (25/23, 25/22 e 25/16), no Nelson Mandela Forum, em Firenze, na Itália. O jogo, válido pela quarta semana da Liga Mundial, teve 1h21 de duração e contou com um público de cerca de 7 mil torcedores.

Após oito jogos, realizados nas quatro primeiras semanas da competição, o Brasil é líder do Grupo A, com 18 pontos após seis vitórias e apenas dois resultados negativos. Titular no jogo de hoje, o oposto Evandro foi o maior pontuador do jogo, com 20 acertos – 17 de ataque, dois de bloqueio e um de saque. O oposto demonstrou satisfação com a atuação do time brasileiro.

“Hoje tivemos uma consistência de jogo bem legal e isso facilitou o meu trabalho. Sacamos bem, tivemos um percentual de ataque alto e conseguimos bloquear bem, algo que estávamos enfrentando um pouco de dificuldades. Com um bom desempenho na defesa, conseguimos ter um volume de jogo satisfatório”, explicou Evandro.

A motivação para o jogo desta noite já era grande pela rivalidade entre Brasil e Itália. Depois do resultado negativo no confronto passado, a equipe passou a ter ainda mais garra na busca pela vitória. “Nunca gostamos de perder. Sabemos que não fizemos um grande jogo na sexta-feira e acho que todos nós entramos com mais vontade ainda de ganhar a partida de hoje”, comentou o oposto da seleção brasileira.

Também satisfeito com o resultado, o ponteiro Lucarelli destacou os pontos positivos da seleção brasileira na partida deste domingo. Jogador mais jovem em quadra pela equipe dirigida pelo técnico Rubinho, aos 24 anos, Lucarelli sabe que a evolução do time foi importante.

“Nosso saque entrou um pouco mais. Nosso sistema defensivo, principalmente o bloqueio, também funcionou melhor e o ofensivo funcionou mais fácil. Eles tiveram alguns erros e nós conseguir jogar bem melhor hoje”, disse Lucarelli, em relação a partida da última sexta-feira (19.06), quando os italianos venceram.

A próxima parada da seleção brasileira será a Austrália. A equipe viaja já nesta segunda-feira (22.06) e enfrentará os donos da casa no próximo fim de semana, dias 27 e 28 de julho.

O JOGO

O Brasil abriu o placar do jogo no ataque de Isac. Com Evandro e novamente Isac, desta vez no bloqueio, a equipe brasileira abriu 3/0. A Itália reagiu e, com Birarelli, encostou no marcador: 5/4. No primeiro tempo técnico, a vantagem do Brasil era de três: 8/5. Com o oposto Evandro pontuando bem, a equipe visitante fez 10/7. No ponto de saque de Evandro, 13/10. Mais uma vez com o oposto no ataque, o Brasil fez 16/14 na segunda parada técnica. Os italianos, então deixaram tudo igual em 16/16. O Brasil voltou a abrir dois pontos (19/17) e o adversário pediu tempo. Com Lucarelli, o placar foi para 21/19. A reta final do set ganhou em equilíbrio quando o placar esteve igual em 23/23. Mas, com Isac no ataque e Evandro no bloqueio, o Brasil fechou em 25/23.

O segundo set teve um início melhor para a Itália, que fez 3/1. O Brasil buscou e, no bloqueio de Lucão, assumiu o comando do marcador em 6/5. As equipes estiveram empatadas em 8/8 e, no ace de Bruninho, o time brasileiro colocou um de vantagem. Com Lucão, o Brasil esteve dois a frente: 14/12. Em boa passagem do levantador Bruno pelo saque, a equipe brasileira fez 17/14. Com bons saques do oposto Vettori, a Itália encostou no marcador e quando fez 21/20, Rubinho pediu tempo. Assim como na parcial anterior, o final teve muita disputa e equilíbrio, com vantagem para o Brasil em 23/21. Com Isac, a seleção brasileira fez 24/22 e, com Evandro, 25/22.

O Brasil manteve o bom ritmo no começo do terceiro set e colocou três de vantagem no placar em 8/5. No ace de Lucão, a seleção brasileira aumentou a diferença para 11/7. No bloqueio de Murilo, 13/8. Mantendo uma certa tranquilidade no jogo, o time dirigido pelo técnico Rubinho se distanciou em seis pontos (16/10) no segundo tempo técnico. Com ponto de bloqueio de Evandro, a diferença aumentou para 17/10. A seleção brasileira assegurou a vantagem no marcador (22/16). No final, 25/16.

EQUIPES

BRASIL – Bruno, Evandro, Lucão, Isac, Murilo e Lucarelli. Líbero – Serginho
Entraram – Raphael, Wallace, Lipe, Riad
Técnico: Rubinho

ITÁLIA – Travica, Vettori, Birarelli, Anzani, Zaytsev e Lanza. Líbero – Colaci
Entraram – Saitta, Botto, Mengozzi, Randazzo
Técnico: Mauro Berruto

GALERIA DE FOTOS
http://worldleague.2015.fivb.com/en/intercontinental-group1/schedule/5896-italy-brazil/match#Photos

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do vôlei brasileiro

Parceiros Oficiais