Na véspera da competição, técnicos avaliam as possibilidades de título

Publicado em: 03/07/2017 19:25

A apenas um dia do início da Fase Final da Liga Mundial 2017, em Curitiba (PR), os treinadores das seis seleções participantes se reuniram em um hotel da capital curitibana para atenderem a imprensa. Nesta segunda-feira (03.07), Stéphane Antiga, Sergey Shlipnikiv, Renan Dal Zotto, Nikola Grbic, Laurent Tillie e John Speraw contaram sobre a expectativa para as partidas que terão como palco a Arena Atlético Paranaense.

Animado com a boa fase do elenco, o técnico da equipe anfitriã, Renan Dal Zotto, comemorou a oportunidade de realizar a Fase Final em casa: “Tenho certeza de que esta fase final será uma experiência única, especialmente por ser em um estádio de futebol. Estamos em um bom momento, fizemos uma boa campanha na fase de classificação. A nossa equipe cresceu durante a temporada e estamos confiantes para este momento de decisão. Sabemos dos desafios que ainda temos pela frente, pois as seis equipes têm reais chances de conquistar o título”, disse Renan.

O adversário do Brasil na estreia é o Canadá, nesta terça-feira (04.07), que chega pela segunda vez na história à fase decisiva da competição. O treinador da equipe Canadense, o francês Stéphane Antiga, disse estar contente com a classificação: “Estamos muito felizes de estarmos aqui, este é um lugar muito especial e com uma atmosfera favorável ao voleibol. Fiquei muito satisfeito com o modo como jogamos na fase classificatória, mas agora é praticamente uma nova competição. Ao longo deste campeonato conseguimos manter a tranquilidade em momentos de pressão da torcida, e espero que isto continue nos jogos aqui em Curitiba”, comentou Antiga.

No mesmo grupo que brasileiros e canadense, o time russo não entrará em ação na primeira rodada. Com dificuldades em relação às lesões no elenco, Sergey Shlipnikov garantiu que a Rússia dará o melhor em quadra: “É muito bom jogar aqui no Brasil, que é o país do voleibol. Tivemos alguns problemas com lesões durante a temporada, o que será um desafio para darmos o nosso máximo. Estamos nos preparando muito para fazer um grande espetáculo”, afirmou Shlipnikov.

A França foi a equipe de melhor campanha na fase preliminar e também joga nesta terça-feira. O treinador do time francês, Laurent Tillie, confia no desempenho dos jogadores para conquistar uma medalha: ““Estamos contentes de vir ao Brasil. Tivemos muitas dificuldades, muitas lesões, mas chegamos aqui apesar de tudo. Agora estamos em uma nova fase, estamos entre os seis melhores times e jogaremos em uma arena enorme e lotada de fãs. O foco é manter nosso bom nível, que, se tudo der certo, nos levará ao pódio”, explicou Tillie.

Já o reformulado time dos EUA conseguiu a classificação para as finais nas últimas rodadas, e o treinador John Speraw está satisfeito com o desenvolvimento dos comandados: “O nosso time está em um momento de renovação, e eles se saíram bem. Fiquei satisfeito com a evolução ao longo da fase preliminar. Confesso que após a primeira semana não estava tão otimista de que chegaríamos aqui, então é gratificante ver que conseguimos a classificação. Quero manter o crescimento do time conforme a gente joga com estas equipes tão importantes”, contou Speraw.

A atual campeã da Liga, a seleção da Sérvia, só estreia nesta quarta-feira (05.07). O técnico Nikola Grbic, sabe que a missão em Curitiba será dura: “É mais fácil vencer um troféu pela primeira vez, que manter-se no topo. Nesta temporada tivemos o classificatório para o Mundial que aconteceu uma semana antes do início da Liga Mundial e tivemos que jogar 14 jogos em 28 dias, o que é muito exaustivo. Será um grande desafio superar tudo isso, mas tentaremos o nosso melhor para sairmos com mais um título”, analisou Grbic.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro


Parceiros Oficiais